Publicidade
Política

Ninguém está acima da lei, diz Moro em discurso de formatura nos EUA

Ninguém está acima da lei, diz Moro em discurso de formatura nos EUA
(Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil )

ESTELITA HASS CARAZZAI

WASHINGTON, ESTADOS UNIDOS (FOLHAPRESS) - Em discurso na cerimônia de formatura da Universidade de Notre Dame, nos EUA, o juiz federal Sergio Moro afirmou neste domingo (20) que "ninguém está acima da lei", e que esse deve ser um princípio para a estabilidade da democracia no Brasil.

"O alicerce de nações democráticas é o Estado de Direito, o que significa que todos têm direito à igual proteção da lei. Isso quer dizer que é preciso proteger os mais vulneráveis, mas também que ninguém está acima da lei", declarou.

Moro foi o principal orador da cerimônia de formatura da Universidade de Notre Dame, instituição católica fundada em 1842 e sediada no estado de Indiana, que reúne cerca de 12 mil alunos. 

A função já foi ocupada por ex-presidentes dos Estados Unidos como Barack Obama, George W. Bush e Ronald Reagan, entre outras autoridades. 

O magistrado brasileiro afirmou que o trabalho na Operação Lava Jato --que condenou, segundo ele, "ex-governadores, congressistas, um ex-presidente da Câmara e até um ex-presidente"-- não tem sido fácil, e citou "ameaças, riscos e tentativas de difamação".

"Alguns criminosos não querem mudar o status quo da corrupção e da impunidade. E eles são muitos, e poderosos", declarou, sem entrar em detalhes sobre as ameaças. 

Antes, o presidente da universidade, John Jenkins, afirmara que Moro atua sob "grande risco pessoal para si e para sua família".

Este foi o último compromisso de Moro nos Estados Unidos, em sua terceira visita ao país neste ano -nesta semana, ele também foi homenageado por empresários em Nova York, onde foi fotografado ao lado do ex-prefeito de São Paulo João Doria, e foi alvo de protestos de partidários do ex-presidente Lula, que o chamaram de "juiz partidário" e "salafrário".

Em Notre Dame, o magistrado foi escolhido como orador por ser "um claro exemplo de alguém que vivencia os valores" que devem inspirar os formandos, segundo o presidente da universidade, John Jenkins -entre eles, a luta pela justiça "sem medo ou favor". 

MUNDO PEQUENO

No discurso, o brasileiro afirmou que, ao refletir sobre o convite, concluiu que "esse é realmente um mundo pequeno", e disse ter sido influenciado pelo trabalho de outros, como o juiz italiano Giovanni Falcone, que condenou líderes da máfia da Sicília, e as leis de combate à corrupção nos Estados Unidos.

O juiz afirmou que não sabe o que irá acontecer ao Brasil no futuro, e que "pode haver retrocessos". "Mas eu acredito que ao menos nos demos uma chance de sermos um país melhor", disse. "Lutar pela integridade na vida pública é uma causa que vale a pena."

Cerca de 21 mil pessoas estiveram no evento, segundo a universidade.

Moro não enfrentou protestos em Indiana, ao contrário. Foi aplaudido de pé, ao final de seu discurso de pouco mais de 20 minutos. 

Entre o público presente no estádio da universidade, um brasileiro carregava uma cartolina com a frase: "Eu moro aqui, mas sou Moro no Brasil".

Ao final do discurso, o brasileiro deu quatro conselhos aos recém-graduados: nunca desistir de lutar por uma boa causa; saber que, se a luta for justa, você nunca estará sozinho; lembrar que seu comportamento pode inspirar outros; e não se render ao mal da corrupção ou da desesperança.

DESTAQUES DOS EDITORES