Libertadores

No Athletico, Vitor Roque atinge marcas históricas e arranca elogios de Felipão

Vitor Roque com o prêmio de melhor do jogo
Vitor Roque com o prêmio de melhor do jogo (Foto: Reprodução / site oficial do Athletico)

O atacante Vitor Roque atingiu marcas históricas no Athletico em apenas um jogo. Ao abrir o placar na vitória de 2 a 1 sobre o Libertad (Paraguai), na terça-feira (28), o atacante se tornou o jogador mais novo a marcar um gol pelo clube paranaense na Libertadores. E também marcou o 100º gol do Furacão na competição continental.

Nascido em 28 de fevereiro de 2005, Vitor Roque estava com 17 anos e 120 dias quando fez o primeiro gol do Athletico diante do Libertad. Ele já ostentava outro número, a de contratação mais cara da história do clube, que pagou R$ 24 milhões para tirá-lo do Cruzeiro.

O caminho se abriu rapidamente para Vitor Roque chegar a essa marca. Ele foi inscrito pelo Athletico na Libertadores somente na última semana. Não fazia parte do elenco que disputou a fase de grupos. Ingressou na competição porque o regulamento permitia inscrições de mais jogadores para as fases decisivas. Além disso, escalado diante do Libertad porque o titular da posição, Pablo, sentiu um desconforto muscular foi vetado de véspera.

 “Nem nos meus melhores sonhos eu imaginava isso. Graças a Deus pude fazer o gol, contribuir com a vitória”, disse ele, sobre a partida. “Fico feliz pelo meu primeiro gol na Libertadores, o centésimo do Athletico na competição, por já estar na história. Agora é continuar trabalhando para buscar mais gols”. Ele acabou eleito o melhor do jogo pela Conmebol e recebeu o prêmio da patrocinadora. “Pude fazer o gol e ajudar no resultado”, disse, modestamente.

A posição de Vitor Roque gerou dúvidas no Athletico, se ele era centroavante ou extremo. “Eu tenho trabalhado nas duas posições. Estou pronto para ajudar o Athletico, onde o professor me colocar estarei pronto para dar o meu melhor”, disse o atacante. Mas o técnico Luiz Felipe Scolari foi taxativo: “Ele é 9”. Ex-zagueiro quando era futebolista, Felipão discorreu sobre o atacante. “Ele é um tipo de camisa 9 que eu não gostaria de enfrentar. Preferia um grandão que não se movimenta muito, e não um baixinho e chato, este eu não gostaria muito”, afirmou.

Na temporada, Vitor Roque ainda não se firmou como titular. Ele soma 10 jogos pelo Atheltico, apenas 2 como titular – diante do Libertad e na vitória de 4 a 2 sobre o Bragantino, quando Felipão usou um time misto. Mesmo assim, já soma participações decisivas. Fez o gol da vitória sobre o Cuiabá (1 a 0). Sofreu um pênalti que gerou o gol de empate contra o Corinthians (1 a 1). No Atletiba, provou a expulsão do lateral-esquerdo Diego Porfírio e, fim do jogo, sofreu um pênalti que resultaria no gol da vitória.

Apesar das pressões para escalar o jogador, Felipão afirmou que precisa ir com calma. Mas avisou: “Ele vai crescer muito, o Brasil vai olhar para ele com muito gosto”.

101 gols

Com o gol de Nico Hernandez, o segundo na vitória sobre o Libertad, o Athletico soma 101 gols ao todo em 71 jogos na Libertadores. Uma média de 1,42 gols por partida. O primeiro gol do clube na Libertadores foi marcado em 2000, pelo lateral Luisinho Netto, na vitória de 3 a 0 sobre o Alianza Lima, no Peru, na estreia rubro-negra na competição. Ao todo, o clube soma 33 vitórias, 11 empates e 27 derrotas na história do torneio.