Série B

Técnico do Coritiba testa Chiquinho e admite carência na lateral-direita

"Chiquinho: titular pelo lado esquerdo do setor ofensivo"
"Chiquinho: titular pelo lado esquerdo do setor ofensivo" (Foto: Divulgação/Coritiba)

O técnico do Coritiba, Eduardo Baptista, testou mais mudanças para sua estreia no comando da equipe, nesta sexta-feira (dia 27) às 21h30, no Couto Pereira, contra o Criciúma, pela 3ª rodada da Série B. Dessa vez, a novidade foi Chiquinho pelo lado esquerdo do setor ofensivo, no lugar de Guilherme Parede. No início da semana, o treinador apresentou outra novidade, com a saída de César Benítez da lateral-direita e a improvisação de Vinícius Kiss nessa posição. 

Com isso, o provável time para enfrentar o Criciúma é Wilson; Vinícius Kiss, Thalisson Kelven, Alex Alves e Abner; Vitor Carvalho e Julio Rusch; Jean Carlos, Kady e Chiquinho; Bruno Moraes.

A tendência é que a equipe seja formada no esquema tático 4-2-3-1. Na última partida, quando o auxiliar Tcheco comandou interinamente o Coxa, o time jogou no 4-3-1-2. Antes, o técnico Sandro Forner vinha usando o 4-1-4-1. 

Em entrevista coletiva, nessa quarta-feira (dia 25), Eduardo Baptista admitiu que o Coritiba tem uma carência na lateral-direita. O principal reforço para essa posição em 2018, Carlos César, sofreu uma lesão em treinamento, ainda não estreou e só retornará no segundo semestre. 

Baptista explicou, porém, que será difícil encontrar um lateral-direito no mercado. “Não tem como esconder que a lateral-direita é uma carência nossa. Times de Série A estão procurando lateral-direito e não é tão simples assim. O Coritiba está no mercado para sanar a nossa deficiência”, declarou. 

O técnico também falou sobre a opção por Chiquinho. “O Chiquinho é um jogador versátil que joga tanto pelo lado quanto pelo meio e que pode atuar como meia ou como homem pelo lado esquerdo. Ou até a gente tem trabalhado em alguns treinos como volante. É bom esse jogador com um leque de situações e a gente está testando tudo isso. Eu devo testar ele hoje pelo lado esquerdo, como um meia pelo lado, que com a bola ele vem por dentro, mas no primeiro momento ele aguarda aberto e vamos testar para analisar”, explicou Baptista.

Baptista comentou ainda a improvisação de Vinícius Kiss. “O Kiss é um volante que jogou muito tempo como lateral direito. Eu conversei com o atleta passei para ele que era momentâneo até que ele sanasse o setor e ele respondeu bem, está treinando bem”, disse.

A previsão do treinador é que o time já tenha uma nova cara na sexta-feira. “Já conseguiu vender uma ideia para eles, de um time agressivo, aguerrido, com posse. Tudo isso funcionou bem, os atletas responderam. Mas o jogo é a prova final”, afirmou. “Defensivamente para mim é mais tranquilo organizar. Ofensivamente, demanda um pouco mais de tempo, porque envolve confiança, entrosamento, e a gente tem focado mais nisso agora”, ponderou.