Orientação sexual

No Paraná, 175 mil adultos se declaram homossexuais ou bissexuais

(Foto: Frankin de Freitas)

Um total de 175.809 pessoas se declararam homossexuais ou bissexuais no Paraná, em 2019, o que correspondia a 2% da população adulta paranaense, maior de 18 anos. É o que revelam dados divulgados ontem pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no âmbito da Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) - Quesito Orientação Sexual, que investigou, pela primeira vez e em caráter experimental, essa característica da população brasileira.

O estudo evidenciou que a imensa maioria da população se autodeclara heterossexual - 94,7% dos paranaenses se autoidentificaram assim. “O fato de uma pessoa se autoidentificar como heterossexual não impede que ela tenha atração ou relação sexual com alguém do mesmo sexo. Para a captação dessas diferentes formas de avaliar a orientação sexual, seria necessária a investigação do comportamento e da atração sexual, conceitos diferentes da autoidentificação”, ressalva a coordenadora da pesquisa, Maria Lucia Vieira.

Além disso, também chama a atenção o fato de muitas pessoas (280 mil ou 3,2% dos paranaenses adultos) terem se recusado a responder ou afirmado não saber qual a orientação sexual. Segundo o próprio IBGE, diversos fatores podem interferir na verbalização da orientação sexual, como o contexto cultural, morar em cidades pequenas, o contexto familiar, se sentir inseguro para falar sobre o tema com uma pessoa estranha, a desconfiança com o uso da informação, a indefinição quanto a sua orientação sexual, a não compreensão dos termos homossexual e bissexual, entre outros.

O Estado em relação ao restante do país

Comparando os dados do Paraná em relação às outras unidades da federação, verifica-se que o estado apresenta uma das maiores proporções e também um dos maiores contingentes de pessoas que se declaram homossexuais ou bissexuais do país.

Em relação à população, por exemplo, esse grupo corresponde a 2% dos paranaenses, sendo que apenas Distrito Federal (2,9%), Amapá (2,8%), São Paulo (2,3%), Rio de Janeiro (2,3%) e Amazonas (2,3%) possuem uma proporção maior que a do Paraná. No Brasil, esse índice é de 1,8%.

Já em número absoluto, o Paraná soma 175.809 pessoas que se declaram homossexuais ou bissexuais. Apenas São Paulo (827.308), Rio de Janeiro (318.213), Minas Gerais (230.603) e Bahia (204.094) possuem um contingente maior. No Brasil, o número de homossexuais e bissexuais é de 2.920.366.

Na Capital, proporção de autodeclarados chega a 2,9%

O estudo do IBGE também trouxe dados relativos às capitais brasileiras. E revelou que, em Curitiba, 2,9% da população adulta (o equivalente a 45.099 pessoas) se declara homossexual ou bissexual, o que também coloca a capital paranaense em destaque no cenário nacional.

Proporcionalmente, por exemplo, Curitiba é a 10ª capital do país com mais pessoas que se autoidentificaram homossexuais ou bissexuais. Fica atrás de Porto Alegre (5,1%), Natal (4,0%), Macapá (3,9%), Campo Grande (3,7%), Aracaju (3,5%), Florianópolis (3,4%), Belo Horizonte (3,4%), São Paulo (3,1%) e Manaus (3,0%), mas um pouco acima da média de todas as capitais brasileiras, que é de 2,8%.

Em número absoluto, Curitiba reúne contingente menor apenas que São Paulo (302.850), Rio de Janeiro (158.174), Belo Horizonte (68.445), Brasília (65.813), Porto Alegre (59.578) e Manaus (45.674).

Homossexualidade é mais comum entre homens e a bissexualidade, entre mulheres

A pesquisa do IBGE também identificou, de acordo com o sexo das pessoas, qual a sua orientação sexual. E o estudo revela que a homossexualidade é mais comum entre os homens, enquanto a bissexualidade é mais frequente entre as mulheres. Neste caso, os dados são nacionais e o estudo não trouxe recortes mais localizados.

Entre os homens, 94,7% se declararam heterossexuais, 0,5% se identificaram como bissexuais e 1,4%, como homossexuais. Além disso, 1,1% dos entrevistados disseram não saber e 2,3% se recusaram a responder ao questionamento.

Entre as mulheres, 94,8% disseram ser heterossexuais, 0,8% se afirmaram bissexuais e 0,9% se declararam homossexuais. Além disso, 0,1% declarou ter outra orientação sexual, 1,1% afirmou não saber e 2,3% se recusou a responder.

Total de pessoas de 18 anos ou mais de idade, segundo a orientação sexual
(dados de 2019)

Brasil
Total: 159.171.311 (100%)
Heterossexual: 150.821.861 (94,8%)
Homossexual ou bissexual: 2.920.366 (1,8%)
Se recusou a responder ou não sabia: 5.339.166 (3,4%)

Paraná
Total: 8.799.368 (100%)
Heterossexual: 8.335.881 (94,7%)
Homossexual ou bissexual: 175.809 (2,0%)
Se recusou a responder ou não sabia: 279.754 (3,2%)

Curitiba
Total: 1.537.259 (100%)
Heterossexual: 1.459.273 (94,9%)
Homossexual ou bissexual: 45.099 (2,9%)
Se recusou a responder ou não sabia: 25.681 (1,7%)

Fonte: Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) - Quesito Orientação Sexual, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)

Entre os mais jovens, proporção é de 5%

Outros dados interessantes do estudo dizem respeito à diferença na proporção de homossexuais e bissexuais na população brasileira conforme a faixa etária, o nível de instrução e o rendimento domiciliar per capita.

Entre a população mais jovem (18 a 29 anos), por exemplo, a proporção de pessoas que se declaram gays ou bissexuais chega a 4,8%. Nas faixas seguintes (30 a 39 anos e 40 a 59 anos) cai para 1,9% e 1%, atingindo o menor valor entre os idosos (60 anos ou mais), com 0,2%.

Já quando analisado o nível de instrução, temos que a maior proporção de homossexuais e bissexuais se encontra justamente entre os mais escolarizados (superior completo), com 3,2%, enquanto entre aqueles sem instrução e fundamental incompleto a proporção de homossexuais e bissexuais fica em 0,5%.

Com relação à renda, o cenário é parecido, sendo possível notar que quanto maior a faixa de renda da população, maior também a proporção de pessoas que se declara homossexual ou bissexual. E isso ocorre, basicamente, numa ‘escala-escada’, que vai de 1,3% entre a população sem rendimento a meio salário mínimo per capita e chega a 3,5% entre as pessoas que recebem mais de 5 salários mínimos.