Reserva de água

Após descer ao pior nível da história, barragens da RMC têm leve alta graças às últimas chuvas

Chuvas de novembro "salvaram" dezembro
Chuvas de novembro "salvaram" dezembro (Foto: Valquir Aureliano)

A situação hídrica na Grande Curitiba ainda é dramática, mas as chuvas de novembro trouxeram um alento para o nível dos reservatórios que abastecem a Região Metropolitana, que desde maio estão em racionamento no sistema de rodízio no fornecimento de água potável. No dia 29 de outubro, o nível do conjunto das quatro barragens (Iraí, Piraquara I e II e Passaúna) estava em 27,5% da capacidade e, poucos dias depois, atingiu a pior situação da história, com pouco mais de 26%.

Mas, com chuvas mais consistentes a partir da metade do mês, o nível das barragens conseguiu se recuperar pelo menos para evitar que o racionamento de água ficasse mais severo. No sábado, o nível do conjunto estava em 31,10%. A Sanepar já haiva alertado que teria que tornar o rodízio mais rigoroso se o nível chegasse a 25%. Hoje o rodízio é de 36 horas com o fornecimento de água por 36 horas sem. A medida mais drástica seria de 24 horas com água por 48 horas sem. A esperança é que a partir de dezembro ou janeiro o regime de chuvas se aproxime do normal.