Pandemia

Novo presidente do TSE, Barroso admite adiamento das eleições municipais

Barroso: ministro é contra a unificação das eleições em 2022
Barroso: ministro é contra a unificação das eleições em 2022 (Foto: Roberto Jayme/ Ascom/TSE)

Eleito novo presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o ministro Luís Roberto Barroso, admitiu o adiamento das eleições municipais de outubro por causa da crise do coronavírus, mas defendeu que, se isso for necessário, que elas aconteçam no menor período possível. Ele descartou levar as disputas municipais para 2022.

Conforme a Constituição, o presidente do TSE é eleito pelos sete ministros que compõem a Corte. Numa tradição que remonta à primeira metade do século 20, porém, o escolhido é sempre o vice-presidente. Barroso permanece no cargo até fevereiro de 2022. O ministro Edson Fachin foi eleito opróximo vice-presidente da Corte.

No discurso de agradecimento à sua condução à presidência da Corte, Barroso manifestou preocupação com a saúde da população por causa da pandemida do novo coronavírus e do possível adiamento das eleições municipais marcadas para outubro.

Leia mais no blog Política em Debate