Trânsito

Novos pontos críticos em Curitiba terão fiscalização eletrônica; veja onde ficarão

(Foto: SMCS)

Cruzamentos e trechos nas vias que mais registram acidentes de trânsito começaram a receber novos equipamentos de fiscalização eletrônica. Os primeiros já foram instalados e passam por aferição. Antes do início do funcionamento dos radares, todos os locais estarão indicados, seguindo padrões da legislação federal, com placas e pintura no pavimento.

“Também estamos fazendo a divulgação para avisar os motoristas com antecedência sobre a intervenção”, afirma a superintendente de Trânsito, Rosangela Battistella.

Para reduzir as colisões e o impacto de possíveis acidentes de trânsito, os primeiros novos equipamentos devem começar a fiscalizar a velocidade até o fim deste mês - a data certa ainda depende da conclusão dos trabalhos e será divulgada na sequência.

Parte dos equipamentos também fiscaliza parada sobre a faixa de pedestre, avanço do sinal vermelho, conversão e retorno proibidos, conversão obrigatória, trânsito em local e horário proibido pela sinalização (caminhões de grande porte na Linha Verde) e em faixa exclusiva destinada aos ônibus do transporte coletivo.

Além de todos os pontos com fiscalização eletrônica estarem devidamente sinalizados, com placas, semi-pórticos e legendas no pavimento (no mínimo 100 metros antes do radar), as demais sinalizações das vias serão revitalizadas.

A lista completa com os pontos de fiscalização eletrônica em funcionamento pode ser consultada no site da Setran. O mapa será atualizado sempre que necessário, conforme o início de funcionamento dos radares.

Novo padrão em 50 km/h

O projeto de redução na velocidade máxima permitida tem se expandido pela cidade, seguindo tendência mundial para tornar as vias mais tranquilas e seguras. Estudos diversos do setor comprovam que a velocidade média e a fluidez no trânsito melhoram com vias urbanas com limites de 40 km/h e de 50 km/h.

Nessa perspectiva, Curitiba participa de duas iniciativas mundiais: o Programa Vida no Trânsito (PVT), chancelado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), e o Visão Zero. Ambos recomendam a adoção de redução de velocidade nas vias urbanas como forma de diminuir índices de acidentes, mortes e gravidade nas colisões.

“Com a promoção de um trânsito mais seguro também estimulamos a mobilidade ativa, com pedestres e ciclistas mais inseridos no espaço urbano”, salienta a superintendente de Trânsito.

Modernização no sistema de radares

O novo equipamento de fiscalização eletrônica integra uma atualização no sistema de radares de trânsito utilizado na cidade, necessária após mais de uma década sem alterações. A modernização dos radares de velocidade é um dos pilares que integra o programa da Muralha Digital.

A Setran estima que até o final do ano praticamente todos os pontos de fiscalização eletrônica estarão atualizados e concluídos, dependendo do orçamento. A substituição possibilitará o monitoramento de 804 faixas de trânsito em pontos estratégicos da cidade, o equivalente a 191 locais com equipamentos a serem instalados ou com substituição dos atuais. 

Os trechos de avenidas e ruas abaixo estão recebendo sinalização alertando sobre a fiscalização com radares, que começará a ser feita na próxima semana. A instalação dos equipamentos é um pedido da população, por causa do comportamento imprudente adotado por parte dos condutores, e foi precedida por análises técnicas da Superintendência de Trânsito (Setran). 

1. Avenida Comendador Franco - limite de 70 km/h - e Rua Maurício Fruet - 50 km/h

No bairro Jardim Botânico foram substituídos os equipamentos instalados próximo a um supermercado e a uma rede árabe de fast-food, na Rua Maurício Fruet e na Avenida Comendador Franco. Por ser um grande corredor intermunicipal no sistema viário da cidade, a Comendador Franco permanecerá com limite de velocidade em 70 km/h, diferente da maior parte das vias da cidade que estão passando por uma readequação e que, nos próximos meses, terão velocidade máxima de 50 km/h.

A Comendador Franco é uma via arterial com características de trânsito rápido que tem, dentro do contexto urbanístico, a função prioritária de escoamento de veículos para outras regiões da cidade, município vizinho e aeroporto. Tem estrutura com pista dupla, com três ou quatro faixas de trânsito, transposições em desnível com viaduto e trincheiras, transposições em nível com semáforos e faixas de desaceleração.

“Na Comendador Franco temos um dos locais mais críticos em ocorrências gerais de acidentes, inclusive os mais graves. Os radares auxiliam no controle da velocidade e na travessia de pedestres”, salienta a superintendente de Trânsito, Rosangela Battistella.

Já a Rua Maurício Fruet é uma via caracterizada como coletora, com duas e três faixas de circulação, e faz a ligação entre bairros e com travessias de pedestres em muitos pontos, como no Terminal Vila Oficinas, na Rua da Cidadania do Cajuru e no Jardim Botânico, local turístico mais visitado de Curitiba.

2. Rua Nilo Peçanha - 50 km/h 

Trecho sinuoso da Rua Nilo Peçanha, no bairro São Francisco, passará a ter fiscalização eletrônica nas proximidades de um supermercado. O objetivo é reduzir as colisões e o impacto de possíveis acidentes de trânsito na via, que passou a ter limite de velocidade de 50 km/h. A Rua Nilo Peçanha, somente no trecho entre as ruas Carlos Pioli e Lysímaco Ferreira da Costa (com duas curvas em sequência), registrou dez colisões ao longo de 2020.

“O local é em declive, em curva acentuada e antecede um cruzamento semaforizado para pedestres. O trecho ainda tem grande circulação de pedestres pelos serviços ofertados nas proximidades, com comércios, serviços, empresas, supermercado e dois estabelecimentos de ensino”, aponta Rosangela.

3. Rua Almirante Tamandaré - 50 km/h

Cortando o bairro Juvevê, a via faz importante ligação de parte da região norte com a região central da cidade. Análise técnica da Setran constatou elevada potencialidade de acidentes nas proximidades com o cruzamento da Rua Augusto Stresser, onde havia pedidos da população e agora um novo radar começa a funcionar.

4. Ruas Padre Paulo Warcocz - 40 km/h - e Professor Pedro Viriato Parigot de Souza - 60 km/h

Nas proximidades de dois estabelecimentos de ensino, no bairro CIC, os radares vão contribuir para a segurança viária da comunidade acadêmica, principalmente após o retorno das aulas presenciais, e atende a uma reivindicação da população para o trecho que conta ainda com um conjunto habitacional vertical com mais de mil residências.

Com a Rua Monsenhor Ivo Zanlorenzi, a Professor Pedro Viriato Parigot de Souza integra o eixo viário oeste da cidade, fazendo o escoamento de tráfego bairro/centro nos dois sentidos. No cruzamento com a Rua Padre Paulo Warcocz, após trecho em curvas, há grande demanda de travessia de pedestres, com escola nas proximidades.