Publicidade
O mais cobiçado

O melhor emprego público do Brasil está na diretoria da Itaipu

Ser parente, aliado ou correligionário dos membros da cúpula do governo federal pode render muito mais que mero prestígio político. Um exemplo incontestável são os cargos comissionados, ou seja, preenchidos por indicação política, que podem garantir salários inclusive superiores ao do próprio presidente da República. Uma das “meninas dos olhos” dos apadrinhados é justamente a Diretoria da Hidrelétrica de Itaipu, responsável pela melhor remuneração pública do país.

Atualmente, os diretores da Usina recebem mensalmente R$ 32 mil (mais de 77 salários mínimos de R$ 415,00). Este valor é referente apenas aos vencimentos dos diretores Executivos Financeiro, Técnico, Jurídico, de Coordenação e Administrativo. Já o diretor-geral brasileiro da binacional, Jorge Samek (PT), tem remuneração 5% maior, atingindo R$ 33,6 mil por mês. O salário do petista é quase três vezes superior ao do próprio presidente Lula (PT), que não ultrapassa R$ 11,4 mil.

O cargo mais importante de Itaipu é tão interessante que fez o próprio Samek renunciar ao mandato de deputado federal, quando eleito em 2002, para assumir a diretoria da usina. Ao contrário de outras estatais, o modelo jurídico da hidrelétrica não permite que um detentor de mandato eletivo simplesmente se licencie para assumir função na empresa. É necessário renunciar ao mandato.

Samek foi procurado, por três dias, pela reportagem do Jornal do Estado para avaliar a remuneração recebida e comentar a possibilidade de redução salarial, mas não atendeu os telefonemas ou retornou aos recados.

Aliados - As cadeiras na Diretoria de Itaipu são invariavelmente reservadas para os aliados políticos pontuais da alta cúpula do Palácio do Planalto. Durante o governo Lula, os cargos mais cobiçados do país já foram inclusive ocupados por paranaenses. O presidente estadual do PPS, Rubens Bueno, que apoiou a candidatura de Lula em 2002, foi diretor Administrativo. A atual candidata do PT à Prefeitura de Curitiba, Gleisi Hoffmann, assumiu a diretoria Financeira assim que o marido, Paulo Bernardo foi nomeado ministro do Planejamento.

Outros representantes do Estado ainda se mantém na empresa, caso de Nelton Friedrich (PP) – suplente do ex-deputado federal, José Janene (PP) – diretor Coordenação e Edésio Passos (PT) – ex-deputado federal e um dos cabeças do PT do Paraná – diretor Administrativo.

Comparativo – Os salários recebidos pela cúpula de Itaipu ultrapassam até mesmo o teto do Supremo Tribunal Federal (STF), onde os ministros recebem mensalmente R$ 24,5 mil – mesma remuneração de Roberto Requião (PMDB), que tem o maior vencimento entre os 27 governadores.

As vantagens de ocupar cargo na diretoria da hidrelétrica ficam ainda mais evidentes, quando observados os salários de senadores, deputados federais e estaduais. Somente somados, todos os benefícios recebidos pelos parlamentares vão além dos vencimentos de diretores. Senadores e deputados federais recebem, além do salário de R$ 16,5 mil, outros R$ 15 mil de verba indenizatória, R$ 3 mil de auxílio-moradia, R$ 4,2 mil para despesas de telefone e correio, R$ 9,9 mil com passagens (em média, pois depende do Estado de origem do parlamentar), gastos com combustível e ainda têm um carro a disposição com motorista.

Já os deputados estaduais têm remuneração de R$ 12,5 mil, mais R$ 27 mil para despesas com correio, telefone e combustível, e outros R$ 40 mil para o pagamento de salários de assessores.

Porém, para ocupar um cargo eletivo é necessário submeter-se as urnas, à aprovação popular. Para assumir a posição de diretor de Itaipu basta proximidade com governantes e uma indicação política.

Os salários de Itaipu e demais cargos
Diretor-geral de Itaipu                       R$ 33,6 mil
Demais diretores da usina                  R$ 32 mil
Ministros do Supremo                       R$ 24,5 mil
Governador do Paraná                      R$ 24,5 mil
Conselheiro do Tribunal de Contas    R$ 22 mil
Senadores e deputados federais         R$ 16,5 mil
Deputados estaduais                          R$ 12,5 mil
Presidente da República                     R$ 11,4 mil
 


Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES