Publicidade
G4 cada vez mais distante

“O sinal de alerta está ligado já há algum tempo”, afirma Tcheco

(Foto: Divulgação/ Coritia)

A cada partida, uma nova decepção. A cada decepção, o G4 mais distante. O Coritiba está com o sinal de alerta ligado. E não é de hoje, segundo afirmou o técnico Tcheco em entrevista coletiva após sua estreia no comando da equipe, na derrota por 1 a 0 contra o Atlético-GO na Caverna do Dragão.

“O sinal de alerta está ligado já há algum tempo. Temos conversado muito sobre isso e só esperamos que eles (jogadores) assimilem o mais rápido possível e possam reagir. Mesmo não treinando, vamos tentar arrumar a casa e tocar em frente”, disse o treinador, que nos próximos oito dias fará três jogos (contra Criciúma, na próxima terça-feira, Oeste, na sexta, e Brasil de Pelotas, na outra terça).

Segundo o treinador, apesar do bom nível do adversário (que nos últimos 11 jogos perdeu apenas um jogo), o resultado e a atuação da equipe não foram os esperados. “Pagamos um preço caro por um erro coletivo, num lateral que era nosso. Aí vem alguns problemas que seguem”

Tcheco ainda comentou que depois de sair atrás a equipe até teve um bom volume de jogo, principalmente no segundo tempo, mas finalizou pouco contra a meta adversária.

“Estivemos longe daquilo que pensávamos e do ideal. Nós pedíamos a individualidade, a triangulação, para gente finalizar. Faltou tranquilidade para fazer isso. Quando era para tocar mais a bola a equipe lançava e vice-versa. Pela tabela que a gente se encontra e principalmente por esses últimos minutos, não sei se transparece essa intranquilidade dos jogadores, mas é uma coisa que temos de trabalhar, eles tem de amadurecer. Não vamos ter tempo para treinar, vai ser mais na base da conversa, mas vamos fazer o possível para que isso não se repita”, declarou.

Sobre a próxima partida, contra o Criciúma, o treinador destacou que a equipe não pode jogar pelo empate. E embora tenha evitado falar em mudanças na escalação, deixou claro que avaliará algumas situações. “Não vou falar em mudanças agora, no calor do jogo, mas é claro que é algo a ser estudado.”

Força da torcida

Questionado sobre o que teria para falar ao torcedor neste momento, Tcheco foi incisivo, naquele que talvez tenha sido o momento mais importante da coletiva:

“Eu diria ao torcedor, por mais que seja dramática nossa situação na tabela, por mais que seja difícil, e nós nunca imaginávamos, nesta rodada, estar aqui, mas vai ficar pior se os torcedores não apoiarem a gente. Ainda é muito cedo para largar a toalha, muito cedo mesmo. O G4 está a quatro pontos, não podemos criar um fantasma que nos prejudique mais ainda”, disse o treinador.

Ainda segundo Tcheco, esse é o momento do torcedor coxa-branca estar ao lado do clube para ajudar a reerguê-lo e também para ajudar os jogadores a crescer em termos de desempenho e em termos psicológicos, de autoestima.

“Temos jogadores que talvez tenham algumas dificuldades? Talvez tenha, não podemos deixar de reconhecer isso. Mas nesse momento, o importante é o apoio deles. Eles que vão fazer os jogadores ter autoestima, que vão fazer os jogadores evoluir no aspecto psicológico. Ainda bem que nosso jogo já é terça-feira, que não dá tempo de ficar com pensamento negativo e tem de se reerguer já a partir de amanhã”, finalizou.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES