Publicidade
Gente de bem

ONG promove oficina para combater a depressão, o 'mal do século'

Luciana Cortez com suas obras: a arte contra a depressão
Luciana Cortez com suas obras: a arte contra a depressão (Foto: Franklin de Freitas)

No dia 12 de setembro celebra-se o Dia Mundial do Crochê. E a ONG Lucianas e Marias, que desde 2015 usa o crochê como um aliado na luta contra a depressão, promoverá uma ação especial na praça Oswaldo Cruz, na região central de Curitiba, com oficinas de crochê e exposição de arte em crochê. O evento conta com o apoio da Fundação Cultural de Curitiba, da Secretaria Municipal de Esporte, Lazer e Juventude (Smelj) e da empresa EuroRoma.

Segundo Luciana Cortez, fundadora da ONG, esta será a terceira vez que a entidade promove uma ação em celebração ao Dia Mundial do Crochê, aproveitando ainda o gancho de setembro ser o mês amarelo, de prevenção ao suicídio. No ano passado, já com o apoio da EuroRoma, 196 pessoas participaram das oficinas, que acontecem na regional Tatuquara durante todo o dia. Agora, a expectativa é de uma ação ainda maior.

Só para as oficinas estão sendo ofertadas 400 vagas (200 para o período da manhã e outras 200 para o período da tarde). As incrições começaram no último domingo e mais de 70 pessoas já fizeram a inscrição – para se inscrever, basta entrar em contato com a ONG via WhatsApp, por meio do número (41) 99616-1505 e doar um quilo de alimento não perecível. Os participantes irão ganhar um kit para que possam realizar as atividades propostas por Marcelo Nunes e Sandra Brum.

Além das oficinas, contudo, várias outras atividades estão previstas, como uma exposição de arte em crochê, com quatro artistas mostrando seus trabalhos. Já no período da tarde, entre 13 e 14 horas, será vez de uma apresentação musical agitar o público. A expectativa é que pelo menos mil pessoas participem do evento.

“Buscamos despertar nos adolescentes, jovens e idosos a criatividade através do crochê e também a arte, porque fazemos um crochê diferente. Propomos fazer arte em crochê. Mas sempre digo que o crochê é secundário na nossa atividade, o importante é a pessoa”, afirma Luciana Cortez, que reforça o convite àqueles que sofrem com a doença da depressão e se sentem sozinhos.

“Venham passar uma tarde muito agradável com a gente. Queremos incentivar mais crianças, jovens a participar. Me parte o coração saber que estamos perdendo muitos jovens para a depressão. Então fica o convite especial para quelauqer pessoa que se sinta isolada e deprimida. É para elas que esse grupo foi criado. Nosso objetivo é resgatar as pessoas, a autoestima delas. Num tempo de ódio, queremos trazer paz, luz e amor às pessoas”, afirma.

Após ação de vândalos, sede está sendo reconstruída
Uma casa inundada e o telhado destruído, bem como os materiais e roupas que haviam sido doados para a realização de um bazar. Foi com esse cenário desolador que a artesã Luciana Cortez se deparou no começo de dezembro do ano passado, quando a ação de vandâlos destruiu a sede da ONG Lucianas e Marias, que ainda luta para se reerguer.
“Ainda estamos na reforma, infelizmente, mas agora já está mais adiantado algumas coisas. Minha meta era reabrir no último dia 08, mas não tivemos condição financeira”, conta Luciana Cortez.
Para retomar as atividades plenamente, a ONG pede a ajuda da população. Mas nada de dinheiro: aceitam a doação demateriais de construção (saco de cimento, tijolo, cal, areia) ou de tempo. “Se puder doar uma hora, duas horas, para colocar um tijolo, ajudar a rebocar, tirar entulho, temos algumas paredes para quebrar, seria essencial”, diz Luciana.

SERVIÇO
ONG Lucianas e Marias
O que é: Uma instituição que oferece aulas de artesanato gratuitas em postos de saúde, escolas, associações de moradores e outros locais públicos. Atualmente atende em duas unidades de saúde, no Tatuquara e na CIC.
Trabalho voluntário: A ONG precisa de voluntários para atuar nas unidades de saúde que já recebem o projeto, bem como para ampliar a iniciativa. Além disso, também aceita ajuda dos cidadãos que estejam dispostos a doar seu tempo para reconstruir a sede da ONG.
Como ajudar: A instituição pede a doação de materiais de construção e também outros itens para a realização dos cursos e oficinas, como EVA, cola instantânea, tinta para tecido ou qualquer tipo de tinta, tesouras, agulhas, barbantes, material para bordado, lã e pincéis.
Site: www.facebook.com/lucianasemarias/
Contatos: Pela página do Facebook ou pelo telefone (41) 99616-1505 – falar com a Luciana Cortez.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES