Turismo campestre

Opções de lazer ao ar livre na Grande Curitiba ganham força na pandemia

Chácara Minas D’Água, a apenas 7 km de Santa Felicidade: opção de lazer muito perto da Capital
Chácara Minas D’Água, a apenas 7 km de Santa Felicidade: opção de lazer muito perto da Capital (Foto: Valquir Aureliano)

Fazer um passeio a cavalo ou de carroça, caminhar numa trilha, colher uvas e morangos direto do pé ou simplesmente aproveitar e relaxar durante uma pescaria. Todas essas opções de lazer, um tanto bucólicas, podem parecer distantes para quem vive na ‘cidade grande’. Mas para os curitibanos, que vivem no entorno de municípios que ainda preservam essa vida, esse cotidiano mais rural, o que não faltam são opções para aproveitar um turismo mais campestre.

Desde o início da pandemia do novo coronavírus, inclusive, esse tipo de lazer, que oferece um maior contato com a natureza e opções de diversão ao ar livre, está em alta no Paraná por aliar viagens curtas (o famoso ‘bate e volta’), cenários diferentes (já que muitos não aguentam mais o ‘cinza’ da cidade e o ambiente de casa, que em muitos casos virou também o ambiente de trabalho) e menor risco de contágio (já que o coronavírus tem maior facilidade para se propagar em ambientes fechados e que não possibilitam um efetivo distanciamento social).

Foi nesse contexto de transformações provocadas pela pandemia, inclusive, que acabou surgindo um dos espaços mais incríveis da Grande Curitiba, a Chácara Minas D’Água. Localizada em Campo Magro, a 7 quilômetros de distância do bairro curitibano de Santa Felicidade, a chácara existe desde 1982, quando o terreno foi adquirido por Odair Gobi para ser um espaço de lazer e descanso para sua família.

“Meu pai tinha um sonho e construiu [a chácara] para a família. Depois de 15 anos com ele mexendo no local a chácara foi aberta ao público, para eventos. Ela estava bonita e começamos a loca e aí não paramos de mexer”, conta Peterson Luiz Gobi, filho de Odair e sócio-proprietário do local. “Fomos colocando casinha de boneca para criança, nunca paramos de mexer. Por isso chegou num espaço tão grande, de 60 mil metros quadrados. Pode passear, circular, ter vistas diferentes. Uma coisa ou outra sempre estamos colocando: dinossauros, atrativos, casinha de boneca, sete anões... onde vai tem alguma coisa.”

Até pouco tempo, no entanto, o espaço funcionava apenas com locação para eventos como aniversários, casamentos e eventos corporativos. Com as restrições impostas pela pandemia do novo coronavírus, contudo, a chácara teve de se reinventar e passou a funcionar aos domingos como restaurante. Uma iniciativa que deu tão certo que em breve pode ser estendida para outros dias, especialmente sábados e datas comemorativas.

“Quando alugava, a gente só ganhava com o aluguel. Com o restaurante, conseguimos continuar rodando, tendo um giro. A gente queria segurar os colaboradores, pessoal tem filho, a esposa ou marido já tinha perdido emprego na crise e acabamos nos reinventando como restaurante para segurar o lugar, manter a equipe”, relata ainda Peterson.

Quem quiser aproveitar a chácara num final de semana, deve fazer reserva até às 16 horas de sábado pelo telefone (41) 99890-6885. Crianças de 0 a 3 anos de idade nã pagam, enquanto crianças de 4 a 11 anos o valor é de R$ 50 por pessoa, já incluso a recreação. A partir dos 12 anos de idade e adulto o custo é de R$ 85 por pessoa, já incluso o buffet livre e quase todas as atrações da chácara - apenas o passeio a cavalo e o pesque e solte são cobrados à parte, com custo de R$ 10, bem como as bebidas consumidas também são pagas em separado.

Cultura e culinária polonesa e opções de ‘colha e pague’

Ainda em Campo Magro, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC), está localizado o Nova Polska Restaurante e Lazer. Como o nome indica, trata-se de um restaurante polonês, com pratos típicos como pierogue, kluski, sopa de beterraba e repolho azedo com costelinha de porco. Outras atrações são passeio de carroça, trenzinho, chalana, pesca esportiva, trilhas e pedalinho. A propriedade é aberta ao público todos os sábados, domingos e feriados, das 10 às 16h30. O cardápio é a la carte e reservas para grupos e eventos devem ser feitas pelo telefone/WhatsApp (41) 99917-2171.

No mesmo município também fica o Sítio Recanto Nativo, de agricultura orgânica e que também conta com restaurante e atende o turismo rural. Inaugurado há mais de 22 anos, o local possibilita uma integração ímpar com a natureza, para experimentar o pé no chão, a mão na terra, o contato com os animais, a água que brota do solo e o alimento puro. Aberto todos os domingos e feriados para visitas e almoço, oi espaço tem como um de seus destaques o serviço de ‘colha e pague’, com as frutas disponíveis variando conforme a época do ano.

Início de ano é tempo de uva na Grande Curitiba

Em municípios como Campo Largo, Colombo e São José dos Pinhais, o destaque do turismo campestre nesta época do ano está relacionado com a uva. No terceiro município, por exemplo, está localizado o Caminho do Vinho, que reúne vários estabelecimentos e é uma das atrações turísticas mais consolidades da RMC. Além das vinícolas, é possível também embarcar no Trenzinho do Caminho do Vinho, que passa por 40 estabelecimentos localizados na região, jogar minigolfe no espaço Aria Verde ou ainda colher morangos direto do pé no Só Morangos Colha e Pague.

Em Campo Largo um dos destaques é a Vinícola Legado, que recentemente inaugurou a colheita de uvas em 2022 e também oferece visita guiadas aos finais de semana e opções de cesta de piequenique à tarde, em bosques com mesas e bancos de pallets, futons e redes.

Já em Colombo está a Vinícola Cavalli, que produz expressiva diversidade de vinhos coloniais e finos e também sucos de uva. É possível também conhecer no local o processo de elaboração do vinho e dar uma caminhada pelo parreiral principal, que recentemente entrou no período ideal pára colheira e fotos.