Jornada Mundial da Juventude

Operação de guerra marca passagem do papa por favela

Quatro horas antes da visita do papa Francisco à favela da Varginha, em Manguinhos, zona norte do Rio, militares da Marinha e agentes da Polícia Federal chegaram à comunidade por volta das 6h dessa quinta-feira, 25, para realizar varreduras nas oito casas que poderiam ser visitadas pelo pontífice.

Os fuzileiros navais eram os responsáveis por procurar artefatos químicos, biológicos, radiológicos e nucleares. Já os policiais federais estavam em busca de explosivos. Depois das varreduras, os imóveis ficaram guarnecidos pela PF até a chegada do papa. Ninguém era autorizado a entrar nas casas, e quem saía não podia retornar.

Por volta das 10h, pelo menos cinco franco-atiradores da PF com fuzis e toucas ninja rapidamente se posicionaram nas lajes de um colégio e alguns imóveis.