Publicidade
Baixa Ordem

Operação mira quadrilha que explodia caixas eletrônicos em Curitiba e RMC

Operação mira quadrilha que explodia caixas eletrônicos em Curitiba e RMC
Policiais apreenderam um fuzil, colete a prova de bala, munição e uma sacola com dinheiro picado.    (Foto: Polícia Civil/divulgação)

Uma quadrilha suspeita de explodir caixas eletrônicos e roubar carros-fortes é alvo da operação "Baixa Ordem" deflagrada pelo Centro de Operações Policiais Especiais (Cope), unidade de elite da Polícia Civil do Paraná, desde as primeiras horas da manhã de hoje em Curitiba e Região Metropolitana. 

Cerca de 60 policiais do Cope estão nas ruas para cumprir sete mandados de prisão e outros 12 de busca e apreensão. Um dos alvos já está preso. Éderson Machado Correia foi detido no dia 7 de outubro de 2017 pela Polícia Militar após a explosão de um caixa eletrônico na cidade de Rio Branco do Sul. Com eles, os policiais apreenderam um fuzil, colete a prova de bala, munição e uma sacola com dinheiro picado.   

No momento da prisão, “Bebezão” conseguiu quebrar o aparelho celular. Após a explosão, o Cope passou a investigar o caso e o celular do preso foi justamente o ponto de partida. Os policiais do Cope conseguiram recuperar grande parte dos dados armazenados no telefone de “Bebezão” e pouco a pouco começou a identificar os outros integrantes da quadrilha.

A polícia suspeita que esta quadrilha ou pelo menos alguns integrantes dela seja responsável pela explosão do caixa eletrônico do banco de Rio Branco do Sul ocorrido na madrugada de quarta-feira (18) e em outros seis bancos, além da tentativa de roubo de um carro forte na BR-376 próximo a Colônia Witmarsum, em Palmeira, nos Campos Gerais, em fevereiro deste ano. 

Um dos alvos da operação é um vigilante que trabalhava numa empresa de segurança e dava apoio à quadrilha observando a movimentação da polícia.   A operação foi batizada como "Baixa Ordem" que é uma expressão usada quando o explosivo não funciona adequadamente. 

DESTAQUES DOS EDITORES