Publicidade

Oposição quer anular eleição presidencial na Venezuela

A coalizão de oposição Mesa pela Unidade Democrática pediu nesta segunda-feira que a Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) anule as eleições presidenciais em 14 de abril, nas quais o candidato do governo, Nicolás Maduro, se tornou presidente da Venezuela.

Em um documento de 250 páginas entregue na sede da CIDH, a coalizão opositora alegou que o governo venezuelano comemorou eleições fraudulentas, que significam violação dos direitos políticos e de pensamento, garantias judiciais, proteções judiciais e de igualdade perante a lei, contemplados na Convenção Americana sobre Direitos Humanos.

O dirigente da Mesa pela Unidade Democrática, Ramón José Medida, disse a jornalistas que recorreu à CIDH como uma instância conhecedora dos direitos humanos.

Medina acrescentou que o recurso inclui uma petição para que a CIDH analise o caso imediatamente, considerando que as eleições para prefeito em oito de dezembro nas mesmas condições perpetuaria a violação dos direitos humanos fundamentais.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES