Ossada que pode ser de Amarildo é investigada

Uma ossada encontrada em Resende, no sul fluminense, será analisada para que se confirme ou descarte a hipótese de se tratar do pedreiro Amarildo de Souza, morador da Rocinha (zona sul do Rio) desaparecido desde 14 de julho.

Os ossos foram encontrados no último domingo, 22, por um morador do bairro Montese que caminhava perto de um matagal. A cabeça, carbonizada, estava pendurada em uma árvore. Os demais ossos estavam espalhados pelo chão. Segundo a polícia, não há nenhuma razão especial para que se suspeite tratar-se de Amarildo, mas é necessário examinar para que a dúvida seja esclarecida.

Um parente de Amarildo já cedeu material genético que será comparado com o dos ossos. O exame será feito pelo Instituto de Pesquisas e Perícias em Genética Forense, no Rio, e deve ser concluído na próxima quinta-feira, 3.