Balanço

Cresce o número de assassinatos de mulheres na Grande Curitiba

Outubro era para ter sido o mês rosa, marcado pelas ações em prol da mulher, especialmente na prevenção e diagnóstico precoce do câncer de mama. Entretanto, o mês que se encerra hoje acabou sendo marcado como Outubro Vermelho. É que foram registrados na Grande Curitiba pelo menos 14 homicídios de mulheres no mês, sendo que dez destas ocorrências nos últimos 12 dias. No 1º semestre de 2014 haviam sido registrados 32 homicídios.
Logo no primeiro dia do mês, a primeira vítima. A estudante Barbara Alves, de 16 anos, voltava da escola numa quarta-feira, 1º de outubro, quando foi atingida por uma bala perdida no bairro Santa Cândida, na Capital. A tragédia aconteceu após três policiais militares à paisana trocarem tiros com um bandido que havia assaltado um restaurante, e atingiram a jovem no lado direito do tórax. Os três policiais foram afastados do cargo.


O caso mais recente foi registrado nesta quinta-feira (30), quando uma corretora de imóveis de 55 anos foi vítima de um latrocínio. O crime aconteceu no Bigorrilho, após a mulher mostrar um imóvel à venda. Segundo a polícia, ela teria entregue a chave de seu carro aos bandidos, mas não quis dar a bolsa. Eles então atiraram e fugiram com o carro dela. No começo da noite de ontem, a Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos de Curitiba (DFRV), que investiga o caso, divulgou o retrato falado do suspeito de matar a corretora de imóveis.

Curiosamente, este não foi o único homicídio envolvendo uma corretora de imóveis. No último dia 26, uma mulher de 33 anos, que segundo a família já vinha sendo ameaçada de morte, foi assassinada com quatro tiros no bairro Sítio Cercado. O autor do crime ainda não foi identificado.

No ano passado, uma pesquisa feita pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) revelou que o Sul do Brasil é a região mais segura para as mulheres, com índice de 5,08 mortes a cada 100 mil mulheres. O Paraná, porém, não pode comemorar o resultado.


Segundo o Ipea, o Estado possui um dos maiores índices de morte de mulheres — 6,49 — acima da média brasileira (5,82) e bem acima dos números do Rio Grande do Sul (4,64) e de Santa Catarina (3,28).
Os mais chocantes — Os casos mais chocantes foram registrados no dia 27, no Xaxim, e na madrugada de anteontem, em Piraquara, na Região Metropolitana de Curitiba. No primeiro, a vítima foi uma mulher de 24 anos, grávida de cinco meses. O crime aconteceu na Rua Evaristo da Veiga e o corpo da jovem foi encontrado dentro de casa, cheio de facadas e enrolado em um lençol. O marido da mulher seria o autor do crime.
Já o caso de Piraquara foi registrado na madrugada de quarta-feira. A vítima foi uma menina de apenas dois anos. O autor do crime foi o pai dela. A menina levou um tiro na cabeça e teve o corpo jogado de um precipício na região de Roça Nova.
Procurada pela reportagem, a Delegacia de Homicídios não quis comentar a onda de casos de violência contra mulheres, enquanto o delegado da Furtos e Roubos não foi encontrado para dar entrevista.