Publicidade
Voando alto

Pablo faz golaço e assiste estreante Rony para o Atlético vencer o Bahia

(Foto: Geraldo Bubniak)

De candidato ao rebaixamento a sensação do Campeonato Brasileiro em menos de um mês. Esse é o Atlético Paranaense, que neste domingo alcançou sua quarta vitória consecutiva e a nona colocação na competição. Jogando na Arena da Baixada, a equipe comandada por Tiago Nunes dominou completamente o Bahia e garantiu com segurança o triunfo por 2 a 0, gols marcados por Pablo e pelo estreante Rony, ambos no segundo tempo.

Agora com 27 pontos, o time paranaense sobe seis posições e alcança a nona posição no Brasileirão, quatro pontos a frente do Sport (17º colocado) e oito atrás do Atlético-MG (6º colocado). Já os baianos estacionam nos 25 pontos e caem três posições, aparecendo no 14º lugar.

A ascensão do Atlético, destaque-se, está diretamente relacionada ao técnico Tiago Nunes. Desde que assumiu o cargo que antes era de Fernando Diniz, o treinador só perdeu um jogo em 11 partidas. Considerando o Brasileirão e a Copa Sul-Americana, são nove jogos sem derrota.


Escalações

Tiago Nunes promoveu duas mudanças no time do Furacão em relação ao onze inicial na vitória contra o Vasco, no meio de semana. Ambas as alterações foram no meio de campo, com o volante Lucho González sendo substituído por Bruno Guimarães por opção técnica, enquanto o meia-atacante Nikão voltou ao time após cumprir suspensão, com Bruno Nazário deixando o time titular. Seguem em recuperação no departamento médico os zagueiros Paulo André e Thiago Heleno e o ponta Marcelo Cirino.

No Tricolor de Aço, o técnico Enderson Moreira não pôde contar com os meias Régis, em negociação com o Al Wehda, da Arábia Saudita, e Zé Rafael, com dores na região lombar. A principal mudança, porém, foi tática, com o time abandonando o esquema com três volantes, comum nos jogos do Bahia fora de casa, para adotar o 4-2-3-1. O zagueiro Everson, os
volantes Nilton e Flávio e o meia Marco Antônio começaram no banco por opção técnica, com Tiago, Elton, Vinicius, Edigar Junio e Élber assumindo a titularidade.


Primeiro tempo

Os primeiros minutos de jogo apresentaram um Bahia corajoso, pressionando forte no campo de ataque. Mas durou pouco. Logo o Atlético tomou as rédeas da partida, jogando com bolas longas e explorando os lados do campo, com os laterais (Jonathan e Renan Lodi) se aproximando dos pontas (Nikão e Marcinho) para garantir superioridade numérica ao rubro-negro nas jogadas de ataque. As inversões de jogo também foram frequentes, confundindo e dificultando a marcação baiana.

Principalmente nos últimos 15 minutos da etapa inicial, o que se viu foi um verdadeiro massacre dos donos da casa, que somaram 11 finalizações a gol, com pelo menos quatro oportunidades claras para abrir o placar e uma série de boas defesas do goleiro Douglas Friedrich. Os visitantes só foram chutar contra a meta de Santos nos acréscimos, Ainda assim, tiveram uma boa chance num estiloso voleio de Elton.

Segundo tempo

Na volta para a etapa final, Enderson Moreira promoveu duas mudanças no Bahia, uma delas por lesão, com o goleiro Douglas substituído pelo jovem Fernando Castro, de 21 anos. Ao longo de todo o primeiro tempo o arqueiro demonstrou um incômodo na coxa. A outra mudança foi a entrada do lateral-direito Nino Paraíba no lugar de Bruno.

A bola permaneceu nos pés atleticanos a maior parte do tempo, mas o domínio já não era o mesmo. Marcando em bloco baixo, ou seja, dentro do próprio campo, os visitantes conseguiram fechar alguns dos espaços explorados pelo adversário até então. Mas não todos.

E aos 22 minutos, a muralha baiana finalmente foi furada. E que golaço, senhores! O lance começou com Nikão roubando a bola na intermediária, após o Bahia sair jogando errado. Acionado, Pablo já dominou tirando Lucas Fonseca do lance com uma meia-lua. Ao pegar a bola na frente, o atacante mandou uma bomba no cando direito do goleiro. E Douglas já não estava mais em campo para salvar o Bahia: 1 a 0.


Dez minutos depois, foi vez do estreante Rony, que havia entrado em campo aos 19 minutos no lugar de Marcinho, apresentar suas credenciais ao torcedor atleticano: ele recebeu cruzamento de Pablo e chutou forte da grande área para fechar o caixão baiano e garantir a vitória do Furacão por 2 a 0.


Ficha técnica

Atlético
2 x 0 Bahia

Atlético: Santos; Jonathan, Zé Ivaldo, Léo Pereira e Renan Lodi; Wellington, Bruno Guimarães, Nikão, Raphael Veiga (Bruno Nazário) e Marcinho (Rony); Pablo (Bérgson). Técnico: Tiago Nunes
Bahia: Douglas (Fernando); Bruno (Nino Paraíba), Tiago, Lucas Fonseca e Léo; Gregore, Elton, Vinicius, Élber e Edigar Junio (Clayton); Gilberto. Técnico: Enderson Moreira
Gols:
Pablo (22-2º) e Rony (32-2º)
Cartões amarelos: Elton, Élber (B); Raphael Veiga (A)
Árbitro: Leando Pedro Vuaden (RS)
Público: 13.433 total
Renda: R$
238.580,00
Local: Arena da Baixada, em Curitiba (PR), domingo (02 de setembro) às 16 horas


 

Principais lances

Primeiro tempo


4 – Renan Lodi receber na esquerda, avança com liberdade e cruza forte na segunda trave. Nikão aparece na pequena área e tenta finalizar, mas o goleiro desvia na “hora H”.

5 – Pablo lança da esquerda para Nikão. Livre dentro da área, o meia-atacante ajeita com o peito para Jonathar chegar batendo. A bola explode em Lucas Fonseca.

9 – Renan Lodi recebe perto da lateral, passa pelo primeiro marcador, ajeita o corpo e chuta forte de fora da área. A bola passa por cima do gol.

20 – Nikão toca para a passagem de Pablo nas costas da defesa. O atacante fica cara a cara com o goleiro e tenta o chute, mas é travado. No rebote, a bola sobra para Marcinho, livre dentro da área, chutar mascado. Lucas Fonseca afasta quase em cima da linha.

29 – Jogada começa na esquerda e termina com Jonathan livre na direita. O lateral cruza para Pablo, sozinho na segunda trave, cabecear por cima do gol.

32 – Cobrança de falta da entrada da área. Raphael Veiga rola para Zé Ivaldo chutar forte. Douglas espalma e a zaga afasta para escanteio após a sobra.


36 – Cruzamento de Nikão para Renan Lodi chegar batendo. Élber se antecipa e salva o Atlético, mandando a bola para escanteio.

40 – Nikão avança pela direita, se aproxima da área, ajeita o corpo pra chutar com a perna esquerda e manda uma bomba. Douglas espalma.

41 – Léo Pereira chega na linha de fundo e cruza para trás. Bruno desvia com um carrinho e jogadores do Atlético pedem um toque de mão do lateral dentro da área.

44 –
Cobrança de escanteio. Pablo desvia na primeira trave, Tiago tenta afastar e a bola fica com Nikão, que chuta de primeira. Lucas Fonseca desvia e salva o Bahia.

 

46 – Cruzamento da direita para Elton, que pega de primeira dentro da grande área. Santos se estica todo e defende. No rebote, Gilberto chuta para fora.

48 – Cruzamento forte de Jonathan. Marcinho vence a disputa pelo alto e cabeceia firme, para baixo. Douglas faz mais uma grande defesa.

Segundo tempo

13 – Marcinho passa por Edigar Junio e cruza na segunda trave para Renan Lodi, livre, chegar batendo e mandar para fora.

22 – Gol do Atlético! E que golaço! Nikão rouba a bola na intermediária e toca para Pablo. O atacante domina dando uma meia-lua em Lucas Fonseca e chuta forte da entrada da área, bem colocado. Sem chance para o goleiro Fernando!

31 – Rony recebe na entrada da área e chuta forte. A bola desvia na defesa e obra para Pablo, livre dentro da área, chutar em cima de Fernando, que defende com os pés.

32 – Gol do Atlético! Lançamento para Pablo dentro da área. O atacante domina com o peito e cruza rasteiro para Rony chutar forte para o gol.

43 – Élber chuta forte da entrada da área e Santos defende.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES