Caso Aline Miotto Nadalny

Pai é condenado a 30 anos e noves de prisão por morte de filha na Grande Curitiba

(Foto: Arquivo Bem Paraná)

Luiz Carlos Naldony foi condenado, em júri popular, a 30 anos, nove meses e 22 dias de prisão pela morte da filha, a terapeuta ocupacional Aline Miotto Nadolny. O corpo foi encontrado há dois anos em um terrrono baldio, nas proximidades da Colônia Penal Agrícola em Piraquara, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC). O júri popular começou às 13h30 desta quinta-feira (10) e terminou por volta das 22h30.

Conforme a Polícia Civil, ela foi enforcada com um cachecol. Luiz Carlos Nadolny, está preso desde a época do crime. Ele já tinha confessado o crime em depoimento à polícia. Segundo depoimento, ele teria perdido o controle após discutir com a filha sobre a pensão alimentar da irmã mais nova da vítima.

Ele foi condenado por homicídio qualificado por motivo torpe, asfixia, dificultar a defesa da vítima e feminicídio, além do crime de ocultação de cadáver.

Os advogados da família da vítima afirmaram que o conselho de sentença acolheu "a única solução possível diante da amplitude de provas apresentadas".