Publicidade

Pais devem redobrar cuidados com crianças em casa

Valentina ainda não tem 3 anos, é uma menina ativa e adora brincar e se divertir numa rede. Nestes dias de quarentena da família, sem poder descer para brincar no prédio onde moram, os pais dela, Murillo Barcellos Lopes, de 38 anos, e Jesiane, de 34, transformaram a sacada do apartamento em zona de distração para a filha - e armaram a rede. Se arrependeram. Valentina caiu e bateu a cabeça no piso duro. Teve de ir para o hospital.

"Agora ela está bem", contou Jesiane Nunes de Souza ao Estado. Ela explicou que costuma usar almofadas no chão para proteção da filha. "Desta vez não tinha e ela caiu feio", disse a mãe. O casal ficou em dúvida sobre levar a menina ao hospital. Mas, com o ferimento atrás da cabeça, correram para o pronto-socorro que fica próximo da residência da família, na região oeste de São Paulo.

Acidentes domésticos como o de Valentina são perigosos e anualmente provocam até mortes, além de sequelas na população infantil. De acordo com Eduarda Marsili, da ONG Criança Segura, os pais devem ter cuidados extras nestes dias de quarentena em casa, já que as crianças não têm para onde ir e suas ações são limitadas pelo espaço dos cômodos.

Ela disse que ainda é cedo para avaliar a extensão do problema em um mês de crise do novo coronavírus, com as crianças em tempo integral em casa. Mas afirmou que as estatísticas mostram que nos últimos dez anos "acidentes domésticos foram a principal causa de morte de crianças de 1 a 14 anos no Brasil". As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES