Publicidade
Arena da Baixada

Para Tiago Nunes, grama sintética é adorada pelos bons e criticada pelos ruins

Tiago Nunes: "O jogador ruim reclama, porque a bola é mais rápida"
Tiago Nunes: "O jogador ruim reclama, porque a bola é mais rápida" (Foto: Valquir Aureliano)

O técnico do Athletico Paranaense, Tiago Nunes, falou sobre a grama sintética da Arena da Baixada. Para ele, alguns adversários usam o piso como desculpa para uma eventual derrota. E, na opinião dele, o campo é ideal para os jogadores de qualidade, mas terrível para os pernas-de-pau.

“Os caras já vêm preocupados com a grama sintética, antes de se preocupar com o Athletico. Já vêm preocupados e criando desculpas por causa do gramado sintético. Aí facilita o nosso serviço. O cara já começam lá atrás, com medo do gramado sintético. Quando acordam, já estão levando de dois”, disse o treinador, em entrevista para o Globo Esporte. “O jogador ruim reclama, porque a bola é mais rápida. O jogador bom adora, porque você não precisa olhar pra bola”, afirmou.

LÁGRIMAS
Na mesma entrevista, para a jornalista Nadja Mauad, Tiago Nunes também falou sobre sua relação com o Athletico e acabou chorando. “O Athletico acaba sendo o clube que abraçou”, disse ele, que trabalha há dez anos como técnico, passando por 22 clubes de oito estados do Brasil. “Vejo o Athletico como o clube que eu quero cultivar no coração para sempre. Se eu sair daqui por um período curto ou longo, que eu sempre possa ter a porta aberta para sempre retornar”, comentou.

Sobre o jogo com o Boca Juniors, na quinta-feira, Tiago Nunes disse estar nervoso. “Muito. O tempo todo. Já estou nervoso antes. Mas é um nervoso de ansiedade, de poder viver um momento tão importante”, declarou.

Em relação às propostas milionárias para o zagueiro Léo Pereira, para o volante Bruno Guimarães e para o lateral-esquerdo Renan Lodi, o técnico revelou como vem trabalhando a cabeça dos jogadores. “Digo para eles: 'segura até o final do ano que tem muita coisa boa reservada para vocês'”, contou. “Mas vai acontecer, porque o mercado é muito agressivo”, afirmou.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES