Alfabeto grego

Paraná confirma caso de nova variante e vê a Delta avançar

Paraná tinha 56 casos da Delta confirmados até a sexta-feira
Paraná tinha 56 casos da Delta confirmados até a sexta-feira (Foto: José Fernando Ogura/AEN)

O Paraná confirmou o primeiro caso da variante Lambda (C.37), originária do Peru, na sexta-feira, após o sequenciamento genômico pela Fiocruz, conforme amostragem aleatória, encaminhada pelo Laboratório Central do Estado (Lacen).
Trata-se de uma mulher de Londrina, no Norte do Estado, sem comorbidades e que não havia sido vacinada. Ela coletou exames em 9 de julho, após os primeiros sintomas no dia 5. Não foi internada e teve sintomas leves.
No mesmo dia, dois outros casos da variante Delta também foram confirmados entre as 91 amostras que foram processadas nos últimos dias. O primeiro é de um mulher, moradora de Londrina, que apresentou sintomas no dia 4 de julho. O segundo caso foi em Cascavel, no Oeste, em um homem que apresentou sintomas no dia 9 de julho e coleta do RT-PCR no dia 13 do mês passado.
A variante Lambda foi identificada no Peru no final de 2020. Ao contrário da Delta, designada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como “variante de preocupação”, a Lambda é uma “variante de interesse”.
O Paraná contabiliza 56 casos da variante Delta e 18 óbitos desde o começo da investigação da circulação no Estado. A transmissão dessa cepa já é comunitária. Os casos confirmados são em Apucarana, Curitiba, Piên, Fernandes Pinheiro, Araucária, Piraquara, São José dos Pinhais, Mandaguari, Irati, Imbituva, Colombo, Pinhais, Fazenda Rio Grande, Campo Mourão, Francisco Beltrão, Rolândia, Londrina e Cascavel.
“Temos insistido para que a população vá se vacinar. A primeira dose é muito importante e a segunda é fundamental para criar o escudo da imunidade. Isso nos ajuda na proteção, inclusive contra essas variantes. Fica mais uma vez o pedido, vacina é a nossa única e efetiva arma hoje para combater o vírus”, afirmou o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.
UFPR
Um estudo de genotipagem realizado pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) mostra que a variante Delta do novo coronavírus responde, atualmente, por cerca de 45% dos casos de Covid-19 da instituição. No início de maio deste ano, ela representava 10% das ocorrências positivas avaliadas. Durante os meses seguintes, até julho, os dados ainda revelavam que a variante Gama (P.1) era a mais comum no estado.
Porém, o resultado parcial de agosto aponta um aumento significativo desse percentual. Das 11 amostras positivas examinadas, cinco pertencem à variante Delta, evidenciando o alto potencial de transmissão dessa cepa.
A investigação foi feita em amostras positivas para o vírus da Covid-19 obtidas, no decorrer da pandemia, pelo Setor de Ciências Biológicas da UFPR em projeto que visa identificar pessoas contaminadas.
“Não conseguimos ainda dizer de onde exatamente vieram esses casos, porém, pelo número de positivos em um mesmo local de trabalho e dentro de uma mesma família, há evidências de transmissão comunitária desde que registramos o primeiro caso”, afirma a professora Jaqueline de Oliveira, do Departamento de Genética e uma das responsáveis pela genotipagem.

Imunização
Estado passa de 9 milhõs de vacinados
O Paraná atingiu na sexta-feira uma nova marca na campanha de vacinação contra a Covid-19 ao ultrapassar 9 milhões de doses aplicadas. Até agora, 6.439.795 pessoas foram vacinadas com a primeira dose no Estado e 2.628.432 com as duas ou o imunizante de dose única, completando a cobertura imunológica. Em números absolutos, 9.068.226 vacinas chegaram aos braços da população. Somando as pessoas que tomaram a D1 ou a dose única (DU), 77,3% da população adulta já foi vacinada com, pelo menos, uma dose , o que demonstra que o Estado está avançando e deve adiantar a meta de vacinar 80% da população adulta até o final deste mês.