Paraná descarta reforços e aposta em elenco que "não é enxuto, mas também não é inchado”

Com dificuldades financeiras (os salários dos atletas de julho e agosto estão atrasados), o Paraná não deve contratar mais ninguém para reforçar o elenco que luta pelo acesso à Primeira Divisão. O que, segundo Dado Cavalcanti, não deve ser um problema, uma vez que o grupo tricolor não é enxuto, mas também não é inchado.

E a lógica de Dado tem se mostrado correta. Nas últimas rodadas, mesmo sem jogadores do porte de Lucio Flavio, Reinaldo e Ricardo Conceição, a equipe conseguiu manter a boa fase e acumula três vitórias consecutivas.

No banco, o treinador paranista conta com boas opções com passagens por grandes equipes do futebol brasileiro, como o volante/lateral-direito Moacir, o zagueiro Alex Bruno e o atacante Paulo Sérgio, além de jovens revelações como Alex Alves.

Confira abaixo a análise do elenco tricolor, levando-se em consideração o seguinte grupo como titular do Paraná: Luís Carlos; Roniery, Anderson, Brinner e Paulinho; Edson Sitta, Ricardo Conceição e Lucio Flavio; Felipe Amorim, Reinaldo e Kayke (vale ressaltar que, embora jogue com três atacantes, o Paraná tem atuado com duas linhas de quatro, com Felipe Amorim aberto pela direita).

Reservas:
Goleiro:
Marcos – revelado pelo Paraná, atuou entre 2003 e 2012 em Portugal. Atuou sete anos pelo Marítimo, sendo sempre titular da equipe e alcançando média superior a sete com suas atuações, segundo avaliação do site português Fora de Jogo.

Lateral-direito:
Moacir – atua também como volante. Já fez gol em Libertadores, pelo Sport, equipe que o revelou. Passou ainda pelo Corinthians. Já atuou vezes pelo Paraná, fez até aqui 12 partidas, marcando um gol e dando três assistências.

Lateral-esquerdo:
Henrique – Revelado pelo próprio Paraná. Tem apenas 22 anos e já passou pelo Coritiba. No começo do ano, sofreu uma grave lesão e ficou sete meses afastado. Voltou a jogar na terça-feira, quando o tricolor bateu o Icasa por 3 a 0. Apesar do longo período afastado, participou do lance do 1º gol paranista e ajudou a melhorar a defesa.

Zagueiros:
Alex Alves: Outro prata-da-casa. Tem apenas 21 anos e foi titular do Paraná na Série B do ano passado, fazendo 32 jogos e marcando quatro gols. Já atuou também como volante e lateral. Esteve na mira de grandes clubes do Brasil, como o Cruzeiro.

Alex Bruno: Experiente. Tem 31 anos e já atuou por grandes equipes do Brasil, como São Paulo (onde se sagrou campeão da Libertadores, do Mundial e bicampeão Brasileiro), Botafogo e Atlético-MG.

Volante:
Cambará – No Paraná desde 2011. Nunca conseguiu se firmar como titular absoluto, mas sempre foi visto como uma boa opção no elenco. Tem bom passe e chega bem ao ataque. Neste ano, atuou 11 vezes na Série B, marcando um gol e dando uma assistência.

Meias:
Fernando Gabriel – Voltou ao Paraná após se destacar no Paulistão desse ano, quando foi artilheiro do Ituano na competição. É um bom cobrador de faltas. Com a lesão de Lucio Flavio, foi titular nas últimas três rodadas, quando marcou um gol, contra o Guaratinguetá.

Rubinho – Esteve perto de acertar com o Náutico recentemente, mas os pernambucanos desistiram do negócio na hora H. Já atuou 14 vezes nessa Série B, marcando dois gols e dando duas assistências.

Wellington – Após um longo período afastado, voltou a ganhar espaço na equipe e não decepcionou. Tem bom passe, cobra bem faltas e sabe chutar de fora da área. Contra o Sport, marcou o gol que decidiu a vitória paranista por 1 a 0 com um lindo chute da entrada da área, que morreu na gaveta do gol de Magrão.

Atacantes:
JJ Morales – Mesmo não sendo titular da equipe, já marcou quatro gols na Série B, dois deles nas duas últimas rodadas, aproveitando-se de sua maior qualidade, a bola aérea. Com a bola nos pés, apresenta deficiências técnicas notáveis.

Paulo Sérgio – Destaque do Operário no Campeonato Paranaense deste ano, quando marcou sete gols. Ao lado de Morales, é o artilheiro do Paraná na Série B, com quatro gols em 12 jogos.