Publicidade
Revitalização

Governo do Paraná coloca em prática planos antigos para dar ‘nova cara’ ao litoral do Estado

Obras no litoral: governo quer as praias do PR disputando com as de SC
Obras no litoral: governo quer as praias do PR disputando com as de SC

Ao mesmo tempo em que encara uma das temporadas de verão com maior movimento turístico dos últimos anos, o litoral do Paraná também se prepara para enfrentar profundas transformações nos próximos tempos. É que o governo do Paraná prepara uma série de investimentos para a região, inclusive resgatando planos antigos, como a construção de uma ponte que ligue Guaratuba com Caiobá, a revitalização da orla de Matinhos e a pavimentação da PR-405, que liga Antonina a Guaraqueçaba.

Provavelmente o sonho mais antigo que agora caminha para sair do papel é justamente a ponte de Guaratuba. Pelo menos desde a década de 1940 a obra é demandada por moradores e veranistas, sendo que a Constituição Estadual, que passou a valer em 1991, chegou a prever em um de seus artigos a obrigação do governo construir a ponte. Até hoje, porém, não aconteceu, embora quase todos os governadores tenham prometido a construção.

Em outubro de 2017, o ex-governador Beto Richa já havia lançado um edital para contratar um Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental (EVTEA) da Ponte. Em maio de 2018, a então governadora Cida Borghetti homologou o resultado da licitação e o estudo foi desenvolvido, tendo sido concluído no ano passado. “A ponte de Guaratuba é um grande desafio, inclusive ambiental. Mas estou confiante que é possível tirar a ponte de Guaratuba do papel. Vamos trabalhar para isso”, declarou recentemente o governador Ratinho Junior.

Outro sonho antigo, que vem sendo proposto há mais de 20 anos, é a recuperação e revitalização da orla de Matinhos. Com orçamento estimado em R$ 660 milhões, o projeto deverá contar com recursos oriundos de um empréstimo de R$ 1,6 bilhão já autorizado pela Assembleia Legislativa. Com esse montante, a previsão é que seja feita a engorda da areia da praia e área de contenção de ressacas, além da construção e revitalização de canais para evitar enchentes.

“É um projeto muito ambicioso, que vem sendo proposto desde 1996, e busca revitalizar o Litoral por completo”, afirmou Ratinho Junior, ressaltando que a proposta mescla melhoria no atendimento aos turistas com o aspecto social. “A orla vai ficar mais bonita e atrativa. E os moradores do Litoral ficarão livres das enchentes na porta de casa. Com isso, o Paraná volta a ter condições para brigar com o Litoral de Santa Catarina por mais turistas”, declarou o governador.

Por fim, outro ‘sonho antigo’ que pode finalmente se concretizar é a pavimentação da PR-405, rodovia que liga os municípios de Guaraqueçaba e Antonina. A obra é uma demanda antiga dos moradores, que hoje precisam encarar 100 quilômetros de estrada de chão que, muitas vezes, ficam intransitáveis por causa das chuvas. Desde 1987, quatro governadores já assinaram estudo de viabilidade para a pavimentação da estrada, mas nunca seguiram em frente com a iniciativa.

“É uma região que sempre foi esquecida pelo Poder Público e finalmente vvamos colocar no mapa logístico do Paraná”, afirmou o governador Ratinho Junior no final de agosto do último ano, quando lançou um banco de projetos para viabilizar e agilizar obras de reestruturação de rodovias, ferrovias e da segurança pública. Em princípio, a ideia é que as obras começam na metade deste ano.

Estrada e polo portuário em Pontal do Paraná

Além desse ‘resgate’ de demandas antigas para o litoral paranaense, o Governo do Estado também desenvolve outro projeto considerado de fundamental importância: a construção da PR-809, uma nova rodovia com quase 20 quilômetros de extensão, em Pontal do Paraná.

Com custo estimado em cerca de R$ 300 milhões, a nova estrada será paralela à PR-412, entre a PR-407 e Pontal do Sul. Além disso, a licitação também prevê implantação e melhorias de quatro acessos rodoviários entre as PRs 809 e 412, nos balneários Santa Terezinha, Ipanema, Shangri-lá e Atami; execução de cinco viadutos e quatro pontes, além da readequação e ampliação do canal de macrodrenagem, com mais de 15 quilômetros.

A iniciativa é considerada fundamental para a criação de um polo portuário em Pontal do Paraná. Segundo o governador Ratinho Junior, já há dois portos privados com autorização para saírem do papel. “Estamos estudando como fazer uma Parceria Público-Privada (PPP). Faremos um investimento para a atender a cidade de Pontal do Paraná, que precisa de uma nova rodovia, porque muitas pessoas são atropeladas todos os dias, e o investidor faz a parte que vai atender o empreendimento.”

Contudo a obra, chamada Faixa de Infraestrutura, é motivo também de polêmica, já que há a possibilidade de a estrada afetar o ecossistema da região, gerando enorme impacto ambiental. Na cidade, porém, o apoio ao projeto é grande, especialmente depois que a Teching Engenharia e Construção encerrou a montagem de uma plataforma de petróleo na cidade, dispensando 3 mil trabalhadores em outubro último. Dessa forma, a nova estrada poderia ajudar na retomada da economia local, com a geração de novos postos de trabalho.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES