Anuário da Cerveja

Paraná é o terceiro estado ‘mais cervejeiro’ do Brasil

Em quatro anos, mercado cervejeiro mais que dobrou de tamanho
Em quatro anos, mercado cervejeiro mais que dobrou de tamanho (Foto: Franklin de Freitas)

O Paraná é um dos estados mais cervejeiros do Brasil e a cada ano consolida mais a sua posição de destaque no cenário nacional. Prova disso é que nos últimos quatro anos o estado mais do que dobrou o número de cervejarias registradas, conforme dados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Hoje, o Paraná é a quinta unidade da federação com mais estabelecimentos, em número absoluto, além de apresentar a terceira maior densidade cervejeira do país.

Divulgado no final de abril, o Anuário da Cerveja 2020 mostra que, mesmo no primeiro ano de pandemia, o setor viu a concorrência aumentar no estado, passando de 131 cervejarias paranaenses em 2019.para 146 no ano passado. Desde 2017, inclusive, o número de estabelecimentos registrados no Paraná cresceu 117,9%, uma alta acima da média nacional, de 103,7% - no período, o número de cervejarias no país saltou de 679 para 1.383.

Entre todas as unidades da federação, o Paraná apresenta o quinto maior número de empresas no ramo cervejeiro (em números absolutos), atrás de São Paulo (285 cervejarias), Rio Grande do Sul (258), Minas Gerais (178) e Santa Catarina (175). Porém, quando considerada a densidade cervejeira, o estado aparece na terceira posição, com um estabelecimento para cada 78.882 habitantes. Apenas Santa Catarina (41.443) e o Rio Grande do Sul (44.275) ficam na frente, enquanto o Espírito Santo vem logo atrás (99.123).

Presidente da Associação das Microcervejarias do Paraná (Procerva), Iron Mendes comenta que o crescimento do setor vem na esteira de uma nova percepção entre os consumidores, que perceberam que as cervejas artesanais entregam mais do que as cervejas comerciais de larga escala. Com isso, tem aumentado o número de empresários que investem para suprir a demanda na sua região ou cidade, seguindo uma estimativa de que o mercado de cervejas especiais ainda tem muito a crescer no Brasil.

“Hoje, a estimativa é que no Brasil de 4 a 5% do volume total vendido sejam de cervejas especiais. Em países onde o fenômeno começou mais cedo, como nos Estados Unidos, esse porcentual já está acima de 20% do mercado, em termos de valor. Então nós temos uma capacidade de crescimento, obviamente respeitando o poder aquisitivo do país, e as condições competitivas ao empresário”, comenta Iron.

Desafios

Mudanças pós-pandemia

O crescimento verificado em 2020, no entanto, não significa que o setor não tenha sido impactado pela pandemia do novo coronavírus. Segundo o presidente da Procerva, o impacto foi maior na venda de chopp, produto que, para algumas cervejarias, representa 90, até 95% do volume da produção.

“Essas cervejarias foram severamente impactadas, porque os bares fecharam então o impacto em venda de chopp foi muito pesado, praticamente zerou de um dia para o outro. Já a venda de cervejas envasadas em latas e garrafas se manteve”, comenta Iron Mendes. “O que aconteceu também é que, com a falta de lugar para tomar chopp, aumentou o consumo de chopp envasado em garrafa growler, a maioria de plástico, descartável. Vários pontos de venda também aderiram a essa ideia”, complementa.

Novos desafios

Diante do novo cenário, a saída para as cervejarias foi se adaptar à nova realidade. E foi exatamente isso o que fez a Way Beer, uma das principais cervejarias do Paraná, sediada em Pinhais, conforme relata Henrique Domenico, diretor-geral da empresa.

“Na verdade, mudou muito o negócio. A Way já tinha adotado alguns caminhos antes da pandemia, que foi aumentar a distribuição usando o canal de autosserviço, como supermercados. Como os autosserviços não fecharam, são essenciais, aumentamos o volume nesse canal. Também desenvolvemos uma plataforma de vendas, direto para o consumidor final, um aplicativo próprio da Way. Foram as duas grandes frentes”, explica Domenico, lembrando ainda que a empresa não deixou os bares de lado nesse momento, fazendo campanha para que os consumidores ajudassem os seus bares preferidos. “Tentamos fazer a manutenção do que já tínhamos e agregar novos canais, e acho que conseguimos. A pandemia não acabou, mas estamos passando por esse momento diferente.”

Pinhais e Curitiba em destaque no Anuário

Entre os municípios brasileiros, Curitiba e Pinhais são as cidades paranaenses com maior destaque no Anuário da Cerveja. A capital do Paraná, por exemplo, é a quarta cidade com mais cervejarias no país (22), tendo dobrado em quatro anos o número de estabelecimentos. Apenas Porto Alegre (40), São Paulo (39) e Nova Lima (23) possuem mais cervejarias.

Pinhais, por outro lado, aparece no Anuário como a segunda cidade brasileira com mais cervejarias por km². No município metropolitano, há um estabelecimento para cada 7,6 km?. Apenas Lauro de Freitas, na Bahia, fica na frente, com uma cervejaria para cada 6,4 km².

“Aumentou muito [o número de cervejarias em Pinhais”, comenta Henrique Domenico, diretor-geral da Way Beer. “Quando a Way abriu, há 10 anos, éramos a única cervejaria de Pinhais. Hoje já temos mais de 10, então aí já consegue ver [o crescimento]. A cidade tem uma rota da cerveja e temos tido muito apoio da Prefeitura”, comemora.

Procerva pede apoio dos consumidores para os produtos locais

Presidente da Associação das Microcervejarias do Paraná (Procerva), Iron Mendes destaca ainda a qualidade da cerveja paranaense e coloca o clima local como um fator que acaba ajudando o mercado de cervejas artesanais.

A Procerva ainda faz um convite à população para buscar alternativas, provar as marcas locais, regionais, apoiando a cervejaria do seu bairro ou do seu estado, que geram muito mais emprego por litro produzido do que as grandes cervejarias, que já são mais automatizadas.

As pequenas cervejarias têm a característica mais artesanal, de trabalho manual das pessoas, de produção da cerveja. Uma estatística nossa, da Procerva: nós somos hoje 42 cervejarias associadas, geramos 400 empregos diretos aproximadamente. Cada emprego direto, segundo estudo da FGV, gera 51 empregos indiretos.

Então essas 42 empresas geram 21 mil empregos só no Paraná, e isso só as cervejarias associadas, temos mais de 100 que não são associadas nossas. Então pedimos o apoio dos consumidores, para que prestigiem a cervejaria local, de pequeno porte. Além de entregar mais qualidade, também irá apoiar a economia local”.

NÚMEROS DE CERVEJARIAS

Número de cervejarias no Brasil

2020: 1.383
2019: 1.209
2018: 889
2017: 679

Número de cervejarias no Paraná
2020: 146
2019: 131
2018: 93
2017: 67

Número de cervejarias em Curitiba
2020: 22
2019: 19
2018: 14
2017: 11

Unidades da Federação com mais estabelecimentos

São Paulo: 285
Rio Grande do Sul: 258
Minas Gerais: 178
Santa Catarina: 175
Paraná: 146

Municípios com maior número de cervejarias

Porto Alegre-RS: 40
São Paulo-SP: 39
Nova Lima-MG: 23
Curitiba-PR: 22
Caxias do Sul-RS: 19

Fonte: Anuário da Cerveja 2020, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento