Publicidade
Aranhas, abelhas e afins

Paraná registra 49 acidentes com animais peçonhentos por dia

Acidentes com aranhas lideram as estatísticas no Paraná
Acidentes com aranhas lideram as estatísticas no Paraná (Foto: Sesa-PR)

Em 2018, no Paraná foram registrados mais de 18 mil acidentes com animais peçonhentos, uma média de 49 ocorrências por dia. A maior frequência foi de aranhas, com 10.185 ocorrências (27 por dia). Na sequência em número de acidentes aparece o escorpião, com 3.318 registros. Abelhas, serpentes e lagartas somam cerca de 4 mil. Agora, com as temperaturas em elevação, os riscos de encontros com estes animais também aumenta.

A picada de um animal peçonhento pode ser bastante séria. Alguns, inclusive, podem se agravar e levar ao óbito. Animais peçonhentos gostam de ambientes quentes e úmidos e são encontrados em matas fechadas, trilhas e próximo a residências com lixo acumulado. Manter a higiene do local é evitar acúmulo de coisas é a melhor forma de prevenir acidentes.

Estes animais também podem ser encontrados em casas, apartamentos, em frestas, atrás de objetos de decoração, como quadros, dentro de malas, sapatos e até em roupas. A recomendação é manter os ambientes sempre limpos e bater as roupas antes de usá-las.

Por isso, manter os ambientes livres de materiais desnecessários, organizar sobras de construção e retirar teias de aranhas são ações que auxiliam para evitar estes visitantes desagradáveis.

No caso de picadas a pessoa deve procurar atendimento médico imediatamente. O paciente deve manter a calma, comunicar algum familiar, contar o que aconteceu, coletar ou ter o máximo de informações possíveis das características do animal e, se possível, fazer uma foto.

Secretaria promove treinamento

O Serviço Estadual de Vigilância dos Acidentes por Animais Peçonhentos da Secretaria da Saúde promove treinamentos de forma contínua para manter os técnicos da área atualizados. No início de novembro foi realizado o curso voltado aos técnicos da área de vigilância da 2ª Regional de Saúde, que envolveu profissionais que atuam na secretaria estadual, prefeitura de Curitiba e dos 28 municípios que fazem parte da Regional. O treinamento foi realizado na Lapa. Entre os objetivos do treinamento estavam diminuir o número de acidentes no Estado; aprimorar a assistência ao paciente, melhorar a qualidade das notificações; mapear, monitorar e controlar a distribuição dos animais peçonhentos. O coordenador do Programa Estadual de Vigilância de Acidentes por Animais Peçonhentos da Divisão de Zoonoses e Intoxicações da Sesa, Emanuel Marques da Silva, responsável pelo programa de treinamento, comentou que todos os técnicos no estado estão alinhados ao tema. “Foi a finalização de uma etapa. Concluímos na Lapa o treinamento dos técnicos de todos os 399 municípios. Sempre alertamos para evitar o óbito.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES