Publicidade
Parreirais paranaenses

Paraná tem as suas ‘Capitais’ da uva. Grande Curitiba também se destaca

Conhecida como Capital da Uva Fina, Marialva transformou a vocação rural em atrativo turístico.
Conhecida como Capital da Uva Fina, Marialva transformou a vocação rural em atrativo turístico. (Foto: Ascom/Pref. de Marialva))

Marialva, a Capital da uva fina
Conhecida como Capital da Uva Fina, Marialva transformou a vocação rural em atrativo turístico. Localizada no Norte Central Paranaense, a cidade possui 35 mil habitantes. Logo na entrada, tem um monumento em forma de cacho de uva, com 20 metros de altura, atrai visitantes e antecipa que, no município, a importância daquela fruta vai muito além da economia. Isso porque os parreirais e as plantações estão na origem das mais belas paisagens locais e convidam para programas imperdíveis. Por terra, chega-se ao município pela BR-376, que é pedagiada. Há linhas de ônibus municipais e intermunicipais.


Colombo, pedaço da Itália no Paraná
Maior Colônia italiana do Estado, Colombo tem a agricultura como motor econômico, que é justamente o legado dos italianos e a riqueza natural os maiores atrativos turísticos do município. Lugar de natureza generosa, Colombo também proporciona passeios por belas paisagens naturais. Grutas, vinículas e lagos, que estão entre os roteiros preferidos pelos visitantes. Além disso, Colombo tem uma das maiores festas da região voltada para a produção da uva, a Festa da Uva, realizada no Parque Municipal da Uva é uma ótima opção de lazer.


Rosário do Ivaí, nas alturas
Assim como a riqueza espiritual, a principal fonte de renda de Rosário do Ivaí, na região Central do Parfaná, vem do alto, mais precisamente das parreiras de uva, da qual Rosário do Ivaí é considerada a Capital na região. Produção de leite, soja, milho e flores também ajudam a economia do município. Além disso, a geografia privilegiada ajuda o município que é terreno ideal para a prática do ciclismo, motociclismo e dos voos de parapente e asa delta. A melhor opção para chegar a Rosário do Ivaí é de carro, pela BR 082. A cidade também é servida por duas linhas de ônibus.


Salgado Filho, terra do vinho e do queijo
Se você procura por uma cidade acolhedora com atrações para toda a família, não vai se arrepender de colocar Salgado Filho no próximo roteiro de viagens. As agroindústrias que movimentam a economia da cidade são frutos do processo de colonização pelos imigrantes italianos, alemães, poloneses e caboclos, sendo a produção do Queijo e Vinho o destaque local. Situada em um belo vale no Sudoeste do Paraná, conta com festas, trilhas e agroindústrias. Localizada a 525 km de Curitiba, o principal acesso até a cidade de Salgado Filho é a rodovia PR-182. Caso o turista opte por transporte aéreo, o aeroporto mais próximo se encontra no município de Pato Branco, distante 110 km.


Bituruna, a Rota do Vinho
Na cidade, destaca-se a predominância de descendentes de imigrantes italianos, que espalharam seus costumes e sua cultura desde a época da colonização. Suas tradições ajudaram a moldar Bituruna, que hoje é lar de diversas etnias e possui mais de 16 mil habitantes. A 320 km de Curitiba, o clima é ameno, ideal para a produção de uvas, que movimenta a economia e turismo local, com a Rota do Vinho. Outros destaques econômicos ficam por conta da transformação da madeira e agricultura, onde o município vem crescendo ao longo dos anos com a produção da erva mate. Para chegar a Bituruna, os acessos são pelas rodovias BR-277, PR-170 e PR-153. O município encontra-se a 320 km de Curitiba.


Mariópolis, terra da uva
Com uma produção anual de aproximadamente 1.200 toneladas da fruta, a cidade é conhecida como “Terra da Uva” e faz do carro-chefe da economia. Hoje o município conta com 45 produtores que, com suas famílias, produzem mais de mil e duzentas toneladas de uva, abastecem a Vinícola São Francisco de Sales, comercializam na Festa da Uva, e realizam a venda direto dos parreirais para toda a região e estados vizinhos. A Festa da Uva acontece na segunda quinzena do mês de janeiro. Desde 2014 a Festa é realizada no Parque de Eventos Arnaldo Weiss.


Na Grande Curitiba, Enoturismo atrai visitantes
A Região Metropolitana de Curitiba reserva muitas surpresas para aproveitar um feriado ou mesmo curtir o fim de semana. Há vinícolas rústicas ou muito sofisticadas, passeios em plantações no estilo pague o que colher, trilhas em meio aos mananciais de Piraquara, nas matas da Serra do Mar, pedreiras, mirantes e um túnel a ser atravessado com o uso de lanterna.
Cerca de 50 mil turistas passeiam todos os anos por alguns dos municípios da Região Metropolitana de Curitiba, de acordo com dados de pesquisa realizada pelo Programa de Pós-Graduação em Turismo da Universidade Federal do Paraná. A maioria é atraída pelo enoturismo, essa combinação entre um bom passeio e a satisfação do desejo que mais move as pessoas nos momentos de lazer – a gastronomia. No caso, na forma de vinhos e espumantes.
Por aqui, os maiores produtores – e mais visitados – são Colombo, Campo Largo, São José dos Pinhais e Piraquara. A procura é tanta que alguns municípios se organizaram em roteiros, sempre cheios de atrações e tentações, como o Caminho do Vinho, em São José dos Pinhais, e o Caminho Trentino, em Piraquara.
Tem até um circuito de enoturismo organizado pela Associação dos Vitivinicultores do Paraná (Vinopar). Fazem parte a Vinícola Araucária (São José dos Pinhais), a Vinícola Legado e Família Zanlorenzi (Campo Largo), Vinícola Franco Italiano (Colombo), Família Fardo (Quatro Barras), Copasol-Trentina (Piraquara) e Vinhos Santa Felicidade (Curitiba).

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES