Boletins

Paraná tem novo recorde de mortes diárias por coronavírus e total passa de 18 mil

Os óbitos confirmados ontem ocorreram entre 13 de janeiro e ontem
Os óbitos confirmados ontem ocorreram entre 13 de janeiro e ontem (Foto: Franklin de Freitas)

A Secretaria de Estado da Saúde, em informe divulgado ontem, registrou mais 4.490 infecções pelo novo coronavírus e 433 mortes. Os dados acumulados do monitoramento mostram que o Paraná soma 863.790 diagnósticos confirmados e 18.001 óbitos em decorrência da Covid-19. O número de óbitos de ontem foi o maior em um único boletim até o momento.

As mortes foram de 211 mulheres e 222 homens, com idades entre 18 e 102 anos. Os óbitos ocorreram de 13 de janeiro a 7 de abril de 2021.

Havia até ontem 2.589 pacientes com diagnóstico confirmado internados. Eram 2.056 pacientes em leitos SUS (971 em UTI e 1.085 em enfermaria) e 533 em leitos da rede particular (312 em UTI e 221 em enfermaria). Havia outros 2.610 internados, 984 em leitos UTI e 1.626 em enfermaria, que aguardam resultados de exames.

Curitiba

A Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba registrou, ontem, 633 novos casos de Covid-19 e 32 óbitos de moradores da cidade infectados pelo novo coronavírus. Foram contabilizadas 4.080 mortes na cidade provocadas pela doença neste período de pandemia. Com os novos casos confirmados, 178.655 moradores de Curitiba testaram positivo para a Covid-19.

Brasil

O Brasil registrou ontem, 3.829 mortes em decorrência da Covid-19 e 92.625 novas infecções, de acordo com o boletim do Ministério da Saúde, divulgado na noite de ontem. Com isso, o País acumula 13.193.205 casos confirmados e 340.776 óbitos desde o início da pandemia.

CoronaVac é efetiva para variante brasileira da Covid-19, mostra estudo

A vacina CoronaVac, fabricada pelo Instituto Butantan e pela farmacêutica chinesa Sinovac, é 50% eficiente contra a variante P.1 da Covid-19, que surgiu em Manaus e que já predomina em diversos estados do país. A efetividade em prevenir o adoecimento foi confirmada 14 dias após a aplicação da primeira dose.

O estudo foi feito com 67.718 trabalhadores da área da saúde de Manaus e foi divulgado ontem pelo grupo Vebra Covid-19, que reúne pesquisadores de instituições nacionais e internacionais, secretarias estaduais de Saúde do Amazonas e de São Paulo e as secretarias municipais de Saúde de Manaus e São Paulo, apoiado pela Organização Pan-Americana de Saúde (Opas).

A pesquisa ainda não avaliou a efetividade após a aplicação da segunda dose, o que vai ser coletado agora, nas próximas semanas.

Ação — Os ministérios públicos Federal (MPF) e Estadual (MPPR) ajuizaram ação civil pública, com pedido de tutela de urgência, contra a União e o Estado do Paraná a fim de garantir que efetivamente sejam seguidas as categorias de prioridade de vacinação contra covid-19. Elas estão previstas na edição mais recente, a 5ª, do Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a doença.

Os MPs também pedem que não sejam realizadas alterações de categorias prioritárias previstas neste plano, além de cumprir e fiscalizar a prioridade de vacinação garantida ao idoso e às pessoas com deficiência, conforme previsto em seus respectivos estatutos.

Vacinas

Estado recebe novas doses nesta semana

O Paraná espera mais 242.050 doses de vacinas contra a Covid-19, segundo o Departamento de Logística do Ministério da Saúde. São 127.250 imunizantes da AstraZeneca/Oxford/Fiocruz e 114.800 da Coronavac/Butantan. A data do envio ainda não havia sido confirmada até a noite de ontem, mas a expectativa é receber a nova remessa entre hoje e amanhã, o que dará continuidade no Plano Estadual de Vacinação contra a Covid-19.

Sem insumos, Butantan suspende produção da Coronavac

O Instituto Butantan suspendeu ontem o envase de doses da vacina CoronaVac após atraso na chegada de matéria-prima vinda da China. O instituto informou que negocia com o governo chinês para receber as novas remessas. De acordo com o instituto, a matéria prima está pronta para o embarque na China, mas houve um imprevisto. Segundo Dimas Covas, diretor do Butantan, a suspensão não vai afetar o cronograma das entregas prometidas ao Ministério da Saúde.