Fronteira

Pastora é presa suspeita de manter mulheres em cárcere privado no Paraná

A Polícia Civil prendeu uma pastora em Foz do Iguaçu por suspeita de manter mulheres em cárcere privado, além de sequestro e maus-tratos.  A prisão foi nesta terça-feira, 26, após 16 mulheres serem resgatadas em uma casa de reabilitação, interditada por falta de alvará.

Segundo as informações da polícia, a pastora investigada era a coordenadora do local. Agora as investigações serão para apurar se as mulheres viviam em cárcere privado, ambiente insalubre e sob situação de maus tratos. A suspeita é de que elas também sofriam tortura psicológica.

Segundo a Polícia Civil, a suspeita foi presa em flagrante depois de quase seis horas de depoimentos das vítimas, das testemunhas e da própria investigada.

A pastora foi levada para a Cadeia Pública de Foz do Iguaçu. A clínica de recuperação tinha a finalidade de tratar mulheres problemas com álcool e drogas.

O valor pago pelas internas ou pelas famílias variava de R$ 600 a R$ 1,8 mil, e o espaço era administrado por uma pastora evangélica.