Pandemia

Pazuello diz a prefeitos que vacinação contra Covid deve começar em 20 de janeiro; em Curitiba começa às 10 horas

(Foto: Agência Brasil)

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, afirmou a prefeitos, em reunião nesta quinta-feira, 14, que a vacinação contra a covid-19 deve começar no próximo dia 20. A data já era apontada pelo governo federal como o cenário "mais otimista" para abrir a campanha de imunização. Pazuello participa de reunião com a Frente Nacional de Prefeitos (FNP). Mais de 130 chefes de municípios acompanham virtualmente a discussão.

Em Curitiba, a vacinação começa às 10 horas da manhã, segundo declarou o prefeito Rafael Greca ao Meio Dia Paraná.

O ministro repetiu aos presentes que 8 milhões de doses de vacinas devem estar disponíveis em janeiro, sendo 2 milhões do modelo de Oxford/AstraZeneca e 6 milhões da Coronavac. Estes imunizantes serão entregues no Brasil pela Fiocruz e pelo Instituto Butantan, respectivamente. A Frente Nacional dos Prefeitos disse ainda que, na reunião, Pazuello apresentou a seguinte previsão de quantas doses de vacina o país terá nos próximos meses:

  • Janeiro: 8 milhões
  • Fevereiro: 30 milhões
  • Abril: 80 milhões

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) decidirá no domingo, 17, se libera ou não o uso emergencial destes dois imunizantes. Após este aval, as doses poderiam ser aplicadas na população.

Pazuello disse aos prefeitos que as doses da vacina de Oxford/AstraZeneca devem chegar aos Estados na segunda-feira, 18. Um avião sairá na noite desta quinta-feira, 14, do Brasil para buscar as doses na Índia. A previsão de retorno é no próximo sábado, dia 16. Antes do aval da Anvisa, porém, as doses devem ficar sob cuidados da Fiocruz.

Há uma disputa entre os governos federal e de São Paulo pela "primeira foto" da vacinação no Brasil. O ministério planeja realizar um evento no Palácio do Planalto para começar a campanha. A ideia era realizar o evento no dia 19. Bolsonaro já disse que não irá se vacinar contra a covid-19. Já o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), afirmou na quarta-feira, 13, que quer abrir a vacinação no seu Estado imediatamente após a decisão da Anvisa.