Publicidade
Eleições 2018

PDT atribuiu desistência de Osmar Dias a acordo de Alvaro com Ratinho; partido pode lançar ex-deputado para governo

"Nelton Friedrich: ex-deputado pode substituir Osmar Dias"
"Nelton Friedrich: ex-deputado pode substituir Osmar Dias" (Foto: Vagner Rosário)

O presidente nacional do PDT, ex-ministro Carlos Lupi, atribuiu hoje, na convenção estadual do partido em Curitiba, a decisão Osmar Dias de desistir de disputar o governo à aliança fechada pelo irmão do ex-senador e candidato à Presidência da República, senador Alvaro Dias (Podemos) com o PSC, partido ligado ao candidato ao governo e deputado estadual, Ratinho Júnior.

Segundo Lupi, a decisão de Osmar foi pessoal e unilateral, causada por uma questão familiar. “Lamentamos essa decisão do senador Osmar.  Ontem, infelizmente, para a nossa surpresa, para a nossa profunda tristeza, uma pressão muito forte, infelizmente de um irmão, seu irmão, candidato a presidente Alvaro Dias tirou qualquer possibilidade (de ser candidato ao governo)”, alegou. “Nós respeitamos a decisão, ninguém pode ser candidato obrigado”, disse o dirigente. “Em nome do PDT, queremos pedir desculpas ao povo do Paraná, mas essa situação familiar de profundo constrangimento, não está na nossa esfera de poder mudá-lo”, afirmou.

A convenção deve delegar à Executiva Estadual a decisão sobre o que o partido fará agora na disputa pelo governo do Paraná. “Não tivemos ainda uma definição no campo majoritário do que fazer. Vamos continuar conversando até amanhã para buscar caminhos que honrem o partido”, disse Lupi.

Após a desistência de Osmar Dias, o PDT do Paraná ainda pode lançar candidatura própria para o governo, com intenção de garantir palanque no estado a Ciro Gomes, candidato da legenda à presidência da República. Um dos nomes sugeridos é do o ex-deputado federal Nelton Friedrich. Outros nomes também são discutidos. A decisão final deve ser tomada amanhã, último dia do prazo legal. 

Um dos coordenadores da campanha do ex-senador Osmar Dias, Friedrich se filiou ao PDT em abril deste ano. Ele é ex-diretor de Coordenação e Meio Ambiente da Itaipu Binacional e ex-deputado federal. "Saia candidato a governador para ajudar o povo do Paraná. Eu sei que é difícil, eu sei que você não se preparou para isso. Eu sei que não estava no seu projeto", apelou Lupi ao ex-deputado, que pretendia se candidatar novamente à Câmara Federal após 16 anos sem disputar eleições. 

"Vamos decidir nas próximas horas", afirmou Friedrich. "Essa é a mais importante eleição após a ditadura", avaliou ele. "Muitos votariam no Osmar Dias por exclusão", avaliou o ex-deputado, dizendo que estava convicto da vitória do ex-senador. 

O ex-prefeito de Curitiba Gustavo Fruet chegou a ser cotado para assumir a presidência da Executiva Estadual, mas o escolhido foi André Menegotto.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES