Publicidade
Fecomércio

Pesquisa revela que empresários curitibanos nunca estiveram tão otimistas

(Foto: Arquivo Bem Paraná)

Os empresários do comércio de bens, serviços e turismo de Curitiba e Região Metropolitana nunca estiveram tão otimistas. Segundo Pesquisa de Opinião elaborada pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio PR), 72,7% do empresariado esperam ter aumento nas vendas neste 1º semestre de 2019. É a melhor expectativa da série histórica da pesquisa, iniciada há 17 anos. 

A média estadual de otimismo dos empresários é de 73,2%, e teve alta de 21 pontos percentuais em comparação à edição anterior da pesquisa, que era de 51,8%, e fazia menção ao segundo semestre de 2018.

A mudança tão radical na opinião dos empresários é reflexo da esperança de melhora da economia em função dos novos governos federal e estadual. Além disso, a confiança do consumidor voltou a subir e o varejo paranaense apresentou em 2018 o primeiro aumento real no volume de vendas desde o início da crise, em 2014. Prévia da Pesquisa Conjuntural da Fecomércio PR revela que até novembro o comércio de Curitiba cresceu 4,01%.

Número de funcionários
Os empresários também pretendem contratar mais em 2019. A parcela de empresas curitibanas que planeja aumentar o número de colaboradores é de 25,7%, contra apenas 4,4% na última sondagem. A maior parte (64,3%) intenciona manter o quadro funcional e apenas 5,3% devem reduzir sua força de trabalho.

Novos investimentos
Os investimentos também devem ser ampliados. Conforme o estudo, 41,3% dos empresários de Curitiba e Região pretendem investir em seus negócios neste semestre, contra 31,6% na última sondagem. Ainda receosos, outros 37% afirmam que não farão novos investimentos em suas empresas.

Demais regiões
Dentre as sete regiões avaliadas pela pesquisa, a região Oeste concentra o maior número de empresários otimistas, com 77,6%. Na sequência está Londrina (74,6%), seguida por Ponta Grossa (73,9%), Maringá (72,9%), Curitiba e Região Metropolitana (72,7%) e o Sudoeste (71,9%).

DESTAQUES DOS EDITORES