Atlético

Petraglia critica Governo do Estado

O presidente do Conselho Deliberativo do Atlético, Mario Celso Petraglia, fez duras críticas ao Governo do Estado. Segundo o dirigente, o grupo de Roberto Requião tem sido negiglente na defesa da candidatura do Paraná como sede para a Copa do Mundo de 2014. “Além da inércia, do desserviço da Paraná Esportes, na pessoa de seu presidente, senhor Ricardo Gomyde, que nada tem feito a não ser atrapalhar a vinda da Copa do Mundo para Curitiba, pois o Atlético Paranaense tolheu sua intenção de beneficiar seu clube de coração”, atacou Petraglia, no site oficial do clube. Gomyde é conselheiro do Coritiba.
No Brasil, 18 cidades lutam para ser uma das 12 subsedes da Copa do Mundo. “O evento de efetivação e confirmação da Copa pela FIFA, em Zurich (Suíça) para a vinda ao Brasil, quando participaram presidente da república e os principais governadores, dos principais estados da federação, e o Paraná não se fez representar”, lamentou Petraglia.
O dirigente atleticano contou que pediu apoio dos sócios do clube, durante a assembléia da última sexta-feira. “Além do engajamento de todos, a direção do Atlético Paranaense quis deixar claro e registrar que, com o andar da carruagem, da forma que fomos tratados até agora pela CBF e o engajamento inexistente das demais autoridades paranaenses, dificilmente a Copa do Mundo virá”, alertou. “Nossos governantes se sentem mais importantes que o presidente da república”, atacou.
Petraglia explicou que as outras cidades candidatas a subsede têm contado com  forte apoio político. “Como a decisão é política, como o evento é privado, o engajamento e a pressão têm que ser lideradas pelo poder constituído, como tem acontecido em outros estados”, afirmou.
O dirigente ressaltou ainda que a Copa em Curitiba seria um ganho para todos. “O evento da Copa do Mundo é muito importante em todos os sentidos. Desde promoção das nossas coisas, promoção dos nossos pontos turísticos, do que nosso estado representa para a federação, do alto nível de vida que Curitiba representa e que foi posta a reconhecimento do mundo como uma das melhores cidades do Brasil. É um negócio de milhões de dólares. Uma Copa do Mundo dura seis anos”, destacou.

Sócios
Mario Celso Petraglia tem um projeto ousado. “O Atlético Paranaense não poderá nesses próximos anos deixar de ter no mínimo 25 mil sócios até a conclusão da Arena. E depois 40 mil, que será o limite da nossa capacidade”, declarou, ao site oficial. Hoje o clube conta com cerca de 3.500 sócios. “Daqui para frente, o desafio, as metas e os objetivos não serão alcançados se não houver a conscientização e o engajamento necessário dos torcedores ao projeto”, afirmou.

Aquino
O atacante Anderson Aquino pode ser emprestado ao Goiás. O jogador, que pertence ao Atlético, está desde 2006 no Sport. O clube pernambucano tentou a renovação do contrato, mas não conseguiu.