Polêmica

Petraglia explica posição do Athletico sobre premiação do Brasileirão

Petraglia
Petraglia (Foto: Arquivo Bem Paraná/Geraldo Bubniak)

O presidente do Athletico Paranaense, Mario Celso Petraglia, usou sua página pessoal no Facebook para explicar a posição do clube em relação à premiação do Brasileirão 2020. Na terça-feira (dia 13), o jornalista Igor Siqueira, no blog Dinheiro FC, do Globo, relatou que 19 dos 20 clubes da Série A eram favoráveis a pagar valores entre R$ 4,6 milhões até R$ 5,5 milhões para cada um dos rebaixados. O único contrário foi o Athletico Paranaense.

“Faltou unanimidade. Assim, o rateio permanecerá igual ao adotado em 2019, no qual os quatro últimos colocados ficam sem verba de premiação”, escreveu Igor Siqueira. “A nova tabela fora feita com base nos valores pagos pela detentora dos direitos, considerando um cenário no qual todos tivessem contrato de TV aberta, fechada e pay-per-view com a mesma emissora. Na prática, há clubes que não firmaram para uma ou duas plataformas. O Athletico só recebe pela TV aberta, por exemplo. Segundo dirigentes ouvidos pela coluna, a unanimidade era pré-requisito para que a nova distribuição da premiação valesse. O clube paranaense não quis assinar”, relatou o blog Dinheiro FC.

Nessa quarta-feira (dia 14), Petraglia reagiu. Veja o texto do dirigente, na íntegra:

“Fica fácil criar factoides e versões mentirosas sobre matérias vencidas e hoje requentadas! Já aprendemos como funcionam faz décadas, por esta e outras razões não atendemos mais estes blogueiros e colunistas difamadores! O CAP deixou muito claro para a Globo e para os demais 19 clubes da Série A, inclusive para os que fazem parte do CNC da CBF sua posição! Sempre fomos contrários a não distribuição para os 20 clubes que disputam a mesma competição os valores de performance e exposição na TV aberta e fechada! Nossa contrariedade do PPV todos conhecem. Fomos um dos últimos clubes a assinarmos o contrato da TV aberta com a Rede Globo, a fechada temos compromissos com o Grupo Turner e PPV não vendemos. Tentamos mudar essa posição, porém não conseguimos, era pegar ou largar! Além da não distribuição até o último colocado tentamos mudar a proporção de 1 x 3 e acabarmos com o privilégio dos 6 primeiros colocados, quais valores somam +- 50% do contrato. Esse assunto voltou em 2020 e os clubes resolveram mudar os valores da tabela, acordando a distribuição entre todos, porém, preservando o benefício para os primeiros! Apesar de termos sido 5º classificado em 2019 só concordaríamos se não houvesse o privilégio para os 6 primeiros! O CAP brigou pela distribuição igual para todos, ou na pior das hipóteses uma distribuição linear de 1 x 2 até o 20º lugar! Voltaram com uma contra proposta de uma nova tabela de redução de valores de 5% linear até o 16º lugar, distribuindo esses valores para o 17º/20º, mantendo a disparidade de valores existentes na tabela original que assinamos! Afirmaram também que não havia necessidade do voto do Athetico, os 19 clubes iriam decidir e seria suficiente. A Rede Globo para mudar exigiu a assinatura de todos os clubes, razões dela, não entramos no mérito. Agora vem esta posição, entre outras, jogar com calúnias e mentiras a culpa no Furacão! Meus anos de futebol já me mostraram muitas coisas, mas, vou morrer e não verei tudo...”