Publicidade
ANSA

Petrobras anuncia 'fechamento' de unidade de fertilizantes de Araucária

A Petrobras anunciou nesta manhã de terça-feira,14, o fechamento subsidiária Araucária Nitrogenados S/A (ANSA), com sede em Araucária, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC). O anuncio foi feito após o fracasso das tentativas de venda da unidade. A Petrobras aprovou a "hibernação da fábrica de fertilizantes" localizada na cidade de Araucária, no Paraná. Segundo a estatal, a ANSA vem apresentando recorrentes prejuízos desde que foi adquirida em 2013.

Os resultados da ANSA, historicamente, demonstram a falta de sustentabilidade do negócio: somente de janeiro a setembro de 2019, a Araucária gerou um prejuízo de quase R$ 250 milhões. Para o final de 2020, as previsões indicam que o resultado negativo pode superar R$ 400 milhões. No contexto atual de mercado, a matéria-prima utilizada na fábrica (resíduo asfáltico) está mais cara do que seus produtos finais (amônia e ureia) e as projeções para o negócio continuam negativas. A Ansa é a única fábrica de fertilizantes do país que opera com esse tipo de matéria-prima.

A ANSA é uma subsidiária da Petrobras, com autonomia estatutária e personalidade jurídica distinta, patrimônio e gestão própria, adquirida da Vale Fertilizantes SA em 2013. Com a decisão, a Petrobras dá continuidade à sua estratégia de sair do segmento de fertilizantes e focar em ativos que gerem maior retorno financeiro e estejam mais aderentes ao nosso negócio.

"Foram empenhados todos os esforços para a venda da empresa, cujo processo de desinvestimento iniciou-se há mais de dois anos. As negociações avançaram com a companhia russa Acron Group mas, conforme comunicado ao mercado em 26 de novembro, mas não houve efetivação da venda", diz o comunicado do fim das atividades. 

A companhia reitera que a fábrica permanecerá "hibernada" em condições que garantam total segurança operacional e ambiental, além da integridade dos equipamentos.

Desligamento de empregados prevê pacote de benefícios adicionais

A empresa comunicou o desligamento dos 396 empregados da unidade. Além das verbas rescisórias legais a empresa afirmou que fará o pagamento de um pacote adicional composto de valor monetário entre R$ 50 mil e R$ 200 mil, proporcional à remuneração e ao tempo trabalhado; manutenção de plano médico e odontológico, benefício farmácia e auxílio educacional por até 24 meses, além de uma assessoria especializada de recolocação profissional.

Quando adquirida pela Petrobras, em 2013, a ANSA já contava com o atual quadro de empregados. A ANSA se reuniu na manhã desta terça-feira, 14 de janeiro, com o sindicato para tratar desse tema.

A ANSA também está em fase final de negociação de convênio para oferecer programas de capacitação e requalificação profissional para as comunidades que ficam no entorno da fábrica, no município de Araucária. Serão oferecidas 1000 vagas para moradores destas comunidades. 

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES