PF troca comando da Lava Jato Eleitoral em SP e manda delegado para Colômbia

O diretor-geral da Polícia Federal, Rolando Alexandre de Souza, indicou o delegado Milton Fornazari Júnior, que comandava a chamada Lava Jato Eleitoral, como representante do Brasil na Ameripol, grupo que reúne polícias de 18 países das Américas do Sul e Central. O chefe da PF realiza ainda outras mudanças que alcançam setores estratégicos da corporação, como a indicação do delegado Dennis Cali para substituir o atual superintendente em São Paulo, Lindinalvo Alexandrino de Almeida Filho.

A saída de Fornazari não significa, segundo investigadores, um golpe nos inquéritos da Lava Jato Eleitoral. Fornazari aceitou o convite do diretor-geral da PF para enfrentar um novo desafio na carreira.

O delegado Dennis Cali é o atual superintendente da PF no Ceará, posto que ocupa desde 2019. Com larga experiência no cerco a organizações do crime, dr. Filho dirige a Superintendência Regional da PF em São Paulo, a maior do País, desde o mesmo ano.

Outras mudanças nos postos de comando da PF incluem ainda as superintendências da Bahia, Pará e Roraima, pelo menos, e devem ser oficializadas nas próximas semanas.

A outra troca envolvendo a unidade da corporação em São Paulo, a de Milton Fornazari Júnior, envolve mudança de sede. O delegado atuará em Bogotá, na Colômbia, em uma missão transitória com duração prevista de dois anos.

Na 'Lava Jato Eleitoral', Fornazari Júnior atuou na Delegacia de Defesa Institucional, área de inquéritos eleitorais da Superintendência Regional paulista, em investigações envolvendo os ex-governadores Geraldo Alckmin (PSDB) e José Serra (PSDB). Ainda não há definição sobre seu substituto para conduzir inquéritos remanescentes. Antes de assumir a presidência dos inquéritos da Lava Jato Eleitoral, Fornazari atuou na Delegacia de Combate a Crimes Financeiros, hoje Delegacia de Combate à Corrupção, importante braço da PF em São Paulo.

Também é certa a substituição do atual coordenador-geral de Polícia de Repressão a Drogas e Facções Criminosas, Elvis Secco. O especialista no combate ao tráfico internacional de drogas deverá assumir a carreira de adido da PF no México. Já o delegado Cezar Luiz Busto de Souza assume a cadeira de Diretor de Investigação e Combate ao Crime Organizado.