Publicidade
Conteúdo Sustentável

Plásticos de uso único serão proibidos em São Paulo à partir do próximo ano

Foi sancionada no dia 13 de janeiro de 2020 a lei que proíbe o fornecimento de plásticos de uso único na cidade de São Paulo. Entre os itens que não poderão mais ser fornecidos estão copos, pratos e talheres de plástico descartáveis.

O autor do Projeto de Lei 01-00099/2019 sancionado pelo prefeito Bruno Covas e que entra em vigor a partir de 01 de janeiro de 2021, vereador Xexeu Tripoli do PV, explica que os estabelecimentos não poderão fornecer estes itens de maneira nenhuma, seja por venda ou por entrega gratuita. A proibição se aplica a hotéis, restaurantes, bares e padarias, entre outros estabelecimentos comerciais, como supermercados. A lei também é válida para espaços para festas, clubes noturnos, salões de dança, eventos culturais e esportivos de qualquer espécie.

Em substituição aos itens que serão proibidos a partir do ano que vem, os estabelecimentos devem oferecer alternativas biodegradáveis, compostáveis ou reutilizáveis.
16% dos resíduos gerados na cidade de São Paulo são compostos de plástico em suas diferentes formas. Além de diminuir o volume de resíduos plásticos, a nova lei vai incentivar a reciclagem de materiais.


Grupo Interalli investe R$42 milhões e inicia operação antecipada de nova usina

O Grupo paranaense Interalli - que atua no setor de terminais portuários, logística e agronegócio - está apostando pesado no crescimento das fontes de energia limpa. Acaba de entrar em operação, em Tangará da Serra, Mato Grosso, a Pequena Central Hidrelétrica (PCH) Recanto – quinto projeto do grupo voltado para geração de energia renovável.

Com investimentos de R$42 milhões, a PCH Recanto recebeu autorização da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para entrar em operação no dia 23 de dezembro de 2019.

A PCH teve a sua antecipação comercial em mais de um ano, o que permitiu ao Grupo Interalli aumentar a taxa interna de retorno do empreendimento (TIR ) - medida expressa em percentual e que demonstra o quanto rende um projeto de investimento, considerando a mesma periodicidade dos fluxos de caixa do projeto - em cerca de 10 pontos percentuais. A estratégia possibilitou a venda da energia no mercado livre.

O empresário Fabricio Fumagalli explica que além do potencial disponível e do tamanho do mercado, as PCHs apresentam vantagens como, por exemplo, o impacto ambiental baixo e distribuído.

“Além disso, a maioria das PCHs em construção, em análise ou em estudo está situada em áreas com baixos índices de desenvolvimento humano (IDH), proporcionando para estes municípios desenvolvimento, geração de emprego e renda”, destaca Fumagalli.


Governo autoriza manejo da restinga no Litoral do Paraná

O manejo da restinga no Litoral do Paraná, iniciado nesta última semana, atende uma demanda da população e das prefeituras, e permite maior controle sanitário e de segurança nas cidades que recebem mais turistas durante o verão. As podas das plantas exóticas levaram em consideração critérios estabelecidos por um decreto governamental de utilidade pública, como limite de corte acima de 40 centímetros de altura do remanescente e manutenção das áreas de restinga sobre as dunas.

A decisão do Governo do Estado considera a altura da vegetação acoplada na restinga das orlas marítimas e a ocupação de parte das calçadas. Esse bioma, nessas condições, estava favorecendo a proliferação de dengue em momento crítico no Estado (5.343 casos, segundo o último boletim da Secretaria de Saúde), além crimes como assaltos e uso de drogas.



Bruno Pessuti e prefeitura entregam revitalização da Praça Eppinghaus

0 A Praça Brigadeiro do Ar Mario Calmon Eppinghaus, no Juvevê, foi oficialmente entregue à população no dia 09 de janeiro, após serviços de revitalização feitos pela Prefeitura.

Os investimentos foram de cerca de R$ 340 mil, com emenda do vereador Bruno Pessuti, que participou do evento: "Eu já fui morador do Alto da XV e utilizava essa praça para lazer, para corridas, e sempre vi que era necessário fazer mais. Rebaixamos a iluminação em 2015. Fomos constantemente pedindo à prefeitura melhorias. Mas nada como essa que está sendo feita agora, revitalizando completamente o espaço", disse.

Para a secretária municipal do Meio Ambiente, Marilza Oliveira Dias, a entrega da praça do Juvevê é parte de um grande trabalho de melhoria de manutenção e também de requalificação dos espaços urbanos feitos desde 2017.

“Praças são os espaços onde a cidade respira e as pessoas se encontram, por isso é tão importante devolvê-las aos curitibanos da forma como eles merecem”, destacou, lembrando outros locais revitalizados, como o eixo Santa Catarina, no Tarumã.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES