Polícia Civil apreende 32 cartões corporativos usados ilegalmente

Após três meses de investigação a Polícia Civil esclareceu uma série de estelionatos cometidos preliminarmente por duas pessoas, funcionárias de uma grande indústria de abate de frangos em Cascavel. Elenice Maria Balbionot, 51, supervisora do RH (Recursos Humanos) há nove anos, e Rafael Winicius Pinto, 21, também funcionário da indústria e subordinado à acusada, foram indiciados em inquérito policial.

A ação desencadeada na manhã desta quarta-feira ocorreu em cumprimento a mandados de busca e apreensão expedidos pela 2ª Vara Criminal de Cascavel. Na casa do rapaz, foram localizados oito cartões corporativos. Ao mesmo tempo, foi cumprido o mandado de busca na residência da mulher e mais 24 cartões foram apreendidos.

Segundo informou o delegado Nagib Nassif Palma, que preside o inquérito policial, a acusada tinha informações privilegiadas sobre admissão e demissão de funcionários. Após gerar o cadastro e solicitar o cartão corporativo dos novos funcionários, ela se apoderava inclusive da senha provisória. A partir daí iniciava uma série de compras em mercados e lojas. Muitos funcionários já haviam sido demitidos e mesmo assim os cartões permaneciam vigentes. Alguns colaboradores nem chegaram a receber os cartões e já foram demitidos. Ainda assim, os cartões corporativos eram usados e o valor debitado direto da empresa, explica o delegado.

A investigação terá prosseguimento para apurar o montante do prejuízo e o possível envolvimento de mais pessoas. Temos informação de que os golpes começaram em novembro de 2012. Por isso, o levantamento detalhado vai demandar tempo e tão logo seja concluído o inquérito, será remetido ao Poder Judiciário, completa Nagib Nassif Palma.