Publicidade
São Paulo

Polícia investiga morte de cão em pet shop

A Polícia Civil de Orlândia, município de São Paulo, vai investigar a morte de um cão de 11 meses em um pet shop da cidade, na sexta-feira (20). Há indícios de maus-tratos. A Polícia Civil da cidade informou que vai ouvir ainda nesta semana a proprietária do pet shop.

Andrade dono de Tony diz que o cachorro foi levado para banho e morreu trancado no veículo da empresa, onde ficou horas esquecido. Já a proprietária do pet shop admite ter esquecido o animal, mas diz que ele ficou dentro da loja, não do veículo.

Tony foi levado para o banho às 9h segundo Andrade, horas se passaram, e sua irmã resolveu ligar para o pet shop, por volta das 16h, e que chegou a ser informada que o animal já havia sido entregue.

Mais tarde, contou Andrade, a família conseguiu falar com a veterinária responsável pelo pet shop, e ela disse que Tony havia sido esquecido na caixa de transporte dentro do carro e que havia morrido.

Ainda segundo o dono, a veterinária assumiu o erro e disse que lhe daria um novo cachorro. A família ainda não se decidiu se aceitará a proposta. "Não é a mesma coisa. Mas imagina se fosse uma criança? Ela me daria outra de volta?", afirmou o consultor.

Em entrevista à Folha a médica veterinária Cíntia Fonseca, proprietária do pet shop, negou que o cachorro tenha sido esquecido dentro do carro. Porém admitiu que Tony foi esquecido no banho e tosa dentro do pet shop. Disse ainda que foi um "erro imperdoável" de sua parte e que cometeu uma "falha gravíssima".

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES