Brasileiros

População avalia que maioria dos serviços públicos tem baixa qualidade

A população avalia que a maioria dos serviços públicos é de baixa qualidade. Entre os 13 tipos de serviços avaliados, os brasileiros consideram adequados apenas quatro: correios, fornecimento de energia, de água e iluminação pública. Os serviços com a pior avaliação são os de segurança pública, os postos de saúde e hospitais e o transporte público. As informações são da Edição Especial da Pesquisa CNI-Ibope, divulgada nesta quinta-feira, 25 de julho, pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).

De acordo com o levantamento, 87% dos entrevistados consideram muito baixa ou baixa a qualidade dos serviços de segurança pública. Essa também é a avaliação dos serviços prestados por postos de saúde e hospitais. A qualidade do transporte público é baixa ou muito baixa para 73% dos entrevistados. Em seguida, com 67% das respostas de qualidade baixa e muita baixa, aparece a educação fundamental e o ensino médio.
Além disso, mais de 50% dos entrevistados consideram muito baixa ou baixa a qualidade do atendimento à população nas repartições públicas, a conservação de ruas e avenidas, as estradas, a limpeza urbana e a educação superior.

TRIBUTOS E APLICAÇÃO DE RECURSOS – Mesmo assim, a população acredita que os governos arrecadam o suficiente para prestar serviços de boa qualidade. Oitenta e sete por cento dos entrevistados concordam totalmente ou em parte com a afirmação de que o governo já arrecada muito e não precisa aumentar mais os impostos para melhorar os serviços públicos.

Para 83%, considerando o valor dos impostos, a qualidade dos serviços públicos deveriam ser melhores no Brasil. Além disso, 91% da população acha que os impostos pagos no país são altos ou muito altos.

De acordo com a CNI-Ibope Especial, os brasileiros consideram que os recursos públicos são mal aplicados pelos governos. Setenta e quatro por cento da população consideram que os recursos públicos são muito mal ou mal utilizados pelo presidente e pelos ministros. Esse percentual é igual ao referente ao governador e seus secretários, diz a pesquisa. No caso dos prefeitos e seus secretários, na média nacional, 70% considera que os recursos são mal ou muito mal utilizados, completa o levantamento.

A pesquisa, feita entre 9 e 12 de julho com 7.686 pessoas com mais de 16 anos de idade, em 434 municípios, revela a avaliação do governo federal e do desempenho dos governadores de 11 estados que, juntos, são responsáveis por quase 90% do Produto Interno Bruto (PIB) industrial. Também mostra a opinião dos brasileiros sobre as manifestações populares.