Publicidade
Semana de prevenção faz alerta

Por dia, Curitiba registra  três crimes de trânsito 

Além disso, são pelo menos 16 acidentes nas ruas da Capital diariamente
Por dia, Curitiba registra  três crimes de trânsito 
Semana conta com diversas ações de alerta sobre os acidentes de trânsito (Foto: Franklin de Freitas)

A cada dia, uma média de três crimes de trânsito são registrados em Curitiba. É o que revela levantamento feito pela Secretaria Estadual da Segurança Pública (Sesp-PR) a pedido do Bem Paraná, com base nos inquéritos registrados pela Delegacia de Delitos de Trãnsito (Dedetran).
Os dados, levantados pelo Setor de Estatística do Departamento da Polícia Civil, desde o ano passado até ontem foram registrados 2.110 inquéritos na delegacia, sendo 1.387 em 2017 e 723 neste ano. Como tais inquéritos possuem natureza sigilosa, contudo, a Sesp informou que não poderia informar quais são os crimes mais comuns de serem registrados na Capital.
Além disso, ao menos 16 acidentes são atendidos por dia pelo Batalhão de Polícia de Trânsito (BPTran) em Curitiba. Desde janeiro, o órgão contabilizou 35 mortes no local das ocorrências, segundo informações do comandante do BPTran, tenente-coronel Naasom Polak, durante a solenidade de abertura das ações da Semana Nacional do Trânsito, ontem, na sede da Polícia Rodoviária Federal (PRF).
Até a terça-feira da semana que vem diversas ações vão acontecer em Curitiba e no Paraná para alertar sobre os perigos no trânsito.
Meta
Anualmente, 40 mil brasileiros morrem vítimas de acidentes de trânsito. Curitiba integra o Projeto Vida no Trânsito (PVT), com a meta de reduzir em 50% o número de vítimas fatais até o ano de 2020, a partir de análise e cruzamento de dados, da implementação de melhorias viárias, de atividades educativas e de ações fiscalizatórias. Na cidade, o projeto é coordenado pelas secretarias municipais da Saúde e da Defesa Social e Trânsito. 
De 2011 a 2017, Curitiba teve redução de 42,6% nas mortes por acidente de trânsito. A taxa de mortalidade caiu de 17,1 para cada 100 mil habitantes, em 2011, para 9,5, em 2017.

Ações de conscientização começam pela Boca Maldita
Escolas, empresas, rodovias estaduais e vias urbanas de todo Estado serão pontos de campanhas educativas das unidades da Polícia Militar durante a Semana Nacional do Trânsito que iniciada ontem e que segue até o dia 25. No encerramento haverá a Blitz Educativa em dez pontos de Curitiba com abordagens e orientações a motoristas e pedestres.
Em Curitiba as ações começam hoje na Boca Maldita, e até a próxima segunda-feira, estarão instalados estandes demonstrando as ações que são realizadas por todas as entidades ligada ao Sistema Nacional de Trânsito. Estará disponível também uma cabine do Projeto Sem Excesso que simula a sensação de embriagues com um jogo de emersão.
Nas vias urbanas, segundo a porta-voz do Batalhão de Polícia de Trânsito (BPTran), tenente Etiene do Carmo, haverá ações em toda a Capital para alertar sobre a importância de respeitar a legislação e a sinalização. “De quarta-feira a sábado teremos exposições na Boca Maldita, com apoio de diversos órgãos e escolas, e faremos uma simulação de atendimento a um acidente de trânsito com um veículo sinistrado”, destacou.
Debate
Amanhã, Curitiba recebe a sexta edição do Open Fórum de Trânsito e Transformação, evento que tem como parceiros o Sistema Federação das Indústrias do Paraná, por meio do Centro Internacional de Formação de Atores Locais para América Latina (Cifal Curitiba) e a concessionária Ecovia Caminho do Mar, que administra a BR-277 entre Curitiba/Litoral. O objetivo é debater temas relacionados aos setores de trânsito e mobilidade mais seguras para o país. Além do debate entre os convidados, haverá uma feira de ideia de estudantes universitários e prêmios para os melhores trabalhos.

Motoristas, ciclistas e pedestres precisam mudar postura
A necessidade de mudança na postura de pedestres, ciclistas e motoristas foi o ponto em comum destacado por representantes de órgãos municipais, estaduais e federais na abertura da Semana Nacional do Trânsito no Paraná. A solenidade, ontem, na sede da Polícia Rodoviária Federal (PRF), reuniu também parceiros da sociedade civil engajados em atividades e programas voltados para a segurança no trânsito.
“Nos próximos dias estaremos com equipes nas ruas para intensificar as atividades educativas que, por meio da nossa Escola Pública de Trânsito, planejamos e colocamos em prática ao longo de todo o ano”, afirma o secretário municipal da Defesa Social e Trânsito, Guilherme Rangel.
A superintendente de Trânsito, Rosangela Battistella, pediu mais respeito às vidas. “Precisamos deixar de lado a hipocrisia que tem na nossa sociedade quando o assunto é trânsito e fazer um apelo pela vida, reforçando, quantas vezes mais for preciso, condutas como não beber se for dirigir e respeito aos limites de velocidade e às placas de sinalização”, pontuou.
Mal educado
Rosangela levantou outro ponto para a discussão: o respeito do motorista à faixa de pedestres. “Infelizmente, diferente de tantas outras cidades, por aqui o curitibano não tem a cultura de dar preferência à pessoa que está tentando atravessar a rua”, argumentou.

Aplicativo calcula o tempo para dirigir depois de beber
Dirigir sob influência de álcool é uma infração gravíssima e a maioria dos condutores habilitados está ciente disso, já que esse tema é bastante recorrente em campanhas de conscientização e em aulas na autoescola. Mas, para quem quer evitar problemas, existe um app que ajuda o motorista a calcular um tempo estimado que devem esperar para dirigir após beber alguma bebida alcóolica.
O app “Motorista Consciente”, é mais uma ação do Dr. Multas. O aplicativo está disponível na PlayStore ou na AppleStore. O app funciona de uma forma bem simples. Para calcular o tempo estimado de quando poderá dirigir, o condutor deve indicar o seu sexo e o seu peso aproximado. Em seguida, informa quais foram as bebidas alcóolicas ingeridas e em que quantidades. O próximo passo é informar ao app a hora em que começou a beber. Porém, o aplicativo dá a hora aproximada para auxilair o motorista e não possui caráter legal.

DESTAQUES DOS EDITORES