Em Curitiba

Por dia, polícia registra um caso de maus-tratos a animais

Os casos de torturas e mortes de animais, recentemente divulgados em imagens pela internet, são mais comum do que muita gente imagina. Somente em 2011, a Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA) registrou 313 Boletins de Ocorrências referentes a maus tratos de animais em Curitiba e Região Metropolitana. O número, considerado alto pela delegacia, representa uma queda quase que inexpressiva com relação a esse tipo de ocorrência registrado em 2010 (329 boletins). A quantidade de denúncias que, quase diariamente, chegam à DPMA mostram que ainda falta conscientização de parte da sociedade.
Segundo o superintendente Ivan José de Souza, a divulgação maciça de casos como o do cão Falcão, o do cachorro que explodiu em Araucária e a conscientização de que maltratar animais também é crime, tem ajudado a coibir alguns infratores.A maioria dos casos de maus tratos que registramos é em cachorros (90%). Para atender essa demanda, temos uma equipe de quatro policiais que só investigam esses crimes, conta.
A maioria dos boletins de ocorrência registrados na delegacia  é de vizinhos, que ficam incomodados com a situação dos animais, e da Organização Não Governamental Sociedade Protetora dos Animais de Curitiba (SPAC), que desde 1972 faz um trabalho de resgate e tratamento de animais abandonados. Segundo Soraya Simon, presidente da SPAC, muita gente ainda tem medo de denunciar e procura a ONG para ter auxílio.


É importante as pessoas saberem que maltratar animais é crime. Uma pessoa que fere um animal é um perigo para toda a sociedade. Quem faz uma maldade com um bichinho indefeso pode fazer com uma pessoa também, só precisa da oportunidade, diz ela.
A SPAC abriga atualmente cerca de mil animais, entre gatos, cachorros e até cavalos. A ONG trabalha com uma equipe fixa e outra de voluntários e faz o resgate, tratamento e adoção dos animais encontrados. Soraya conta que a capacidade está acima do limite e que a Sociedade se limita a atender apenas os animais machucados. Caso sejam encontrados alguns abandonados, mas com saúde, não podem ir para lá. Não temos como dar conta desta demanda também. Por isso pedimos a ajuda da população, explica.
Ela fala que a sanção da lei que estabelece punições e regras contra maus-tratos a animais, aprovada pelos vereadores de Curitiba em dezembro, é uma grande esperança para eles. Além desse, Soraya ainda espera que uma outra proposta que visa o controle populacional dos animais também vire lei.  A Prefeitura de Curitiba está começando agora com uma rede de proteção, mas com certeza precisamos ser mais severos com este assunto, opina Soraya.