Publicidade
Inferno

Prefeitura abre nova licitação para reforma da CEU

Com mais de dois anos de atraso para a sua conclusão, as obras de reforma da Casa do Estudante Universitário (CEU) volta a ser licitada pela Prefeitura de Curitiba. O edital para a licitação nacional foi publicada ontem. Uma nova empresa será contratada para substituir a atual empreiteira, que teve contrato rescindido por sucessivos atrasos. A vencedora da licitação terá prazo de sete meses para entregar a obra.
O obra virou um drama para os moradores da CEU. O prédio de 60 anos receberia a sua primeira grande reforma. O anúncio e o início dos trabalhos foram feitos em grande estilo pela Prefeitura. Contudo, o cronograma de obras nunca conseguiu se adequar ao da propaganda.
No começo do ano, a Prefeitura chegou a dar um prazo para o término das obras para a diretoria da CEU. Seria no dia 31 de março. Mas não aconteceu. No dia 1º de abril os estudantes realizaram uma manifestação cobrando uma solução, comemorando os mil dias de obras.


A Prefeitura precisou fazer nova concorrência pública, porque empreiteira quebrou, por problemas administrativos, relacionados aos custos da mão de obra especializada e aumentos na construção civil. Agora foi feito novo levantamento de preço para concluir a primeira reforma geral e restauro do prédio, que tem 60 anos, disse o secretário municipal de Obras Públicas, Mario Tookuni.
As obras no primeiro bloco de moradores foram concluídas em 2010. Nesta segunda etapa de obra, serão investidos R$ 3,143 milhões, com recursos captados pela venda do potencial construtivo da Casa do Estudante, que é uma Unidade de Interesse de Preservação. A entrega das propostas e abertura dos envelopes de habilitação será no dia 17 de agosto, às 14h30. A Prefeitura quer que os estudantes estejam presentes para participar do processo e ajudar na fiscalização da obra, como o cumprimento dos prazos estabelecidos no cronograma da reforma, afirmou Tookuni.
Segundo o presidente da Casa do Estudante Universitário do Paraná, Antônio Marcos dos Santos, os moradores irão montar uma comissão que vai acompanhar cada passo da obra. Esta obra prédio é importante, porque é a primeira grande reforma do prédio, que tinha sua estrutura em risco, disse Santos.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES