Após votação

Prefeitura do interior do Paraná decide suspender aulas presenciais em 2020

(Foto: AEN)

A Prefeitura de Guarapuava, anunciou nesta segunda (21) que as aulas presenciais não retornarão na rede municipal de ensino em 2020. A decisão, segundo o prefeito César Silvestri Filho, foi tomada após consulta online com os pais e responsáveis pelos alunos e servidores da educação. "Em média, apenas 10% dos pais pretendem mandar os filhos para a escola. Então não tem lógica as nossas mais de 70 escolas se prepararem, investirem neste retorno para apenas 10% dos alunos, já que o retorno será facultativo segundo o protocolo aprovado pelas autoridades de saúde", disse o prefeito. "Essa medida não vai agradar a todos, mas precisamos tomar uma decisão. Essa indefinição sobre o retorno é o que mais deixa os servidores e famílias em aflição. Está definido e democraticamente". As aulas remotas na rede municipal de Guarapuava continuam até o fim do ano. 

O prefeito também pediu o a apoio de professores e servidores para o possóvel retorno antecipado do calendário escolar em 2022: "Nós sabemos da defasagem do ensino para os alunos, por isso estamos planejando uma possível recuperação no ano que vem. Para isso, precisaremos do apoio dos servidores". 

Segundo ele, 7315 famílias e 1703 servidores participaram da votação. No caso dos Centros Municipais de Educação Infantil (Cmeis), 89,3% das 964 famílias votaram pelo não retorno às aulas presenciais e somente 10,7% pelo retorno. Já no Ensino Fudamental, de primeiro ao quinto ano, 92,7% dos 6351 famílias votaram contra o retorno dos alunos às salas de aula, emquanto 7,3% apoiaram a volta. No caso dos servidores, 91,2% dos 1703 votaram contra o retorno, enquanto 8,8% votaram a favor das aulas presenciais.