Publicidade
Perto do rio

Prefeitura inicia remanejamento de famílias em áreas de risco na Caximba nesta sexta

Prefeitura inicia remanejamento de famílias em áreas de risco na Caximba nesta sexta
(Foto: Rafael Silva)

A dona de casa Neuzi Fátima de Paes, 42 anos, está ansiosa para sair das margens do Rio Barigui e passar a viver em um local mais seguro e estruturado dentro da ocupação 29 de Outubro, no Caximba. A partir desta sexta (07/12), ela e outras 19 famílias que moram na beira do rio serão remanejadas para casas provisórias, a serem construídas em terrenos nas proximidades, longe do risco de inundações.

A intervenção é resultado de parceria entre a Prefeitura de Curitiba, a Companhia de Habitação Popular de Curitiba (Cohab) e o TETO, organização não governamental que atua junto a comunidades carentes. “É uma parceria inédita. O TETO está presente em 19 países e pela primeira vez a ação vai acontecer em conjunto com o poder público em nossa cidade. Curitiba mais uma vez se mostra inovadora”, afirma o prefeito Rafael Greca.

“Temos um importante plano para esta região, vamos construir o Bairro Novo da Caximba, com novas moradias e obras de urbanização. Todavia, os casos mais emergenciais não poderiam aguardar a conclusão do projeto. Por isso optamos pelo remanejamento provisório, a fim de garantir a segurança das famílias. Em Curitiba os moradores não podem ficar entregues à falta de sorte”, completa Greca.

Moradora local há seis anos, Neuzi vive em uma casa mista praticamente pendurada no rio. A moradia está deteriorada e traz risco à família. Quando chove, o rio enche e torna o local complicado. “É sofrido viver aqui. Estamos todos contando os dias para a mudança. Mesmo a casa nova sendo pequena, é melhor estar num lugar seguro do que quase dentro do rio”, afirma ela.

Mutirão

Cerca de 250 voluntários do TETO vão participar do mutirão para construir as casas, de sexta (7) a domingo (9/12). A Cohab, em conjunto com a associação de moradores, definiu os locais onde as moradias provisórias serão erguidas. A Prefeitura, por meio da Regional Tatuquara, vai oferecer apoio na limpeza, preparação da área e caminhões para transporte.

Não haverá custo algum para os moradores, que por sua vez também participarão da construção das unidades de 18 metros quadrados. O coletor de materiais recicláveis Raul Viana, 48 anos, mora sozinho em uma frágil casa de madeira. “Sou eu e Deus. E graças a Ele e à Prefeitura vou sair dessa situação. Tem um buraco embaixo da minha casa, tenho medo de que desabe”, ressalta.

Ainda mais vulnerável é a moradia da aposentada Maria de Lourdes Pinheiro, 57 anos. Com muitas frestas e o assoalho cedendo, a condição da casa é motivo de preocupação. “Quando chove muito forte chego a entrar em pânico, sem saber se a casinha vai aguentar. Estou contente em ter a chance de ir para um lugar melhor”, diz ela.

Ações
Com objetivo de melhorar a qualidade de vida dos moradores da Vila 29 de Outubro, desde o ano passado a Prefeitura tem realizado intervenções no local. “O decreto 688, publicado pelo prefeito Rafael Greca, possibilitou que pudéssemos intervir na ocupação, mesmo ela sendo irregular, pois tornou-a um Setor Especial de Habitação de Interesse Social”, explica o presidente da Cohab, José Lupion Neto.

Ruas estão recebendo patrolamento, as cavas foram limpas, a Secretaria Municipal do Meio Ambiente promoveu ações para castração de animais, moradores foram cadastrados em programas sociais, um grande mutirão ofereceu serviços de saúde, emissão de documentos, encaminhamentos para vagas de emprego, além da doação de roupas e cestas básicas.

DESTAQUES DOS EDITORES