Publicidade
Após incêndio

Prefeitura mantém projeto de restauro do Belvedere e isola o prédio

Prefeitura mantém projeto de restauro do Belvedere e isola o prédio

A Prefeitura de Curitiba já iniciou os trabalhos de isolamento da área do prédio do Belvedere, atingido por um incêndio na noite de quarta-feira 6. Com base na perícia técnica os danos serão avaliados e levantados os custos necessários à recuperação e restauro da edificação.

O bom uso é a melhor forma de preservar o patrimônio histórico da cidade. O abandono determina a sua decadência e destruição, afirma o prefeito Rafael Greca.

Em 30 de junho deste ano, o prefeito Rafael Greca assinou decreto de transferência de R$ 1,073 milhão em recursos de potencial construtivo para o restauro edifício, Unidade Especial de Interesse de Preservação (UIEP), no São Francisco, que será a nova sede da Academia Paranaense de Letras (APL) e irá abrigar um café escola do Sesc Paraná.

Desde então, o processo para o restauro estava em curso atendendo de acordo com o que exige as legislações federal e estadual para intervenções em edificações de interesse histórico e de preservação. Com a atualização do orçamento para a recuperação do Belvedere será possível definir o calendário para lançar o edital de licitação para as obras.

Tombado pelo Estado, o exemplar arquitetônico desenhado com linhas art nouveau foi construído em 1915, pelo então prefeito Cândido de Abreu, para ser um mirante no então ponto mais alto urbanizado da Capital.

A edificação teve outros usos, tendo sido, nos anos 20, sede da primeira rádio do Paraná, a Rádio Clube Paranaense. Na década de 30 passou a ser Observatório Astronômico da antiga Faculdade de Engenharia do Paraná e, em 1962, sede da União Cívica Feminina Paranaense. Anos mais tarde, em 2008, o prédio foi usado como posto da Polícia Militar e, entre 2012 e 2014, transformado no primeiro Centro Estadual de Defesa dos Direitos da População em Situação de Rua.

A Prefeitura de Curitiba segue acompanhando as investigações do incêndio, cujo ato é suspeito de ter sido criminoso. Qualquer informação que possa auxiliar na elucidação das causas do incêndio ou de possíveis causadores, deve ser passada ao Disque Denúncia, pelo telefone 181.

Publicidade

DESTAQUES DOS EDITORES