Campeonato Paranaense

Presidente do Coritiba diz que eliminação foi vergonhosa e alfineta gestão anterior

Follador: “Ficar em 9º lugar num campeonato com 12 times é vergonhoso"
Follador: “Ficar em 9º lugar num campeonato com 12 times é vergonhoso" (Foto: Reprodução de vídeo)

Um dia após a eliminação do Coritiba na primeira fase do Campeonato Paranaense, o presidente do clube, Renato Follador, fez um pronunciamento neste domingo (16) nos canais oficiais do clube. Ao mesmo tempo em que disse que a eliminação foi vergonhosa, procurou dar explicações sobre a montagem do elenco e alfinetou a gestão anterior, de Samir Namur.

Considerando 33% de chance de vitória, 33% de chance de empate e 33% de chance de derrota a cada partida, a chance estatística do Coritiba ser eliminado na primeira fase do Estadual era de 1,23%. O time precisaria perder para o Rio Branco, no sábado (15), na última rodada da primeira fase do Estadual. Além disso, o Athletico tinha que derrotar o Toledo em Toledo. O Maringá necessitava vencer o Cascavel CR em casa. E o Cianorte precisava bater o Azuriz. Essa combinação de resultados, a única capaz de eliminar os coxas-brancas, se confirmou. O Coritiba levou 2 a 1, em Paranaguá, e ficou em 9º lugar, fora da zona de classificação.

“Lamento profundamente tratar desse assunto hoje. A torcida do Coritiba é muito sofrida, a quem não temos direito de pedir paciência. Quando nos candidatamos, prometemos uma mudança radical de postura e de gestão do Coritiba”, disse Follador. “Não imaginávamos e lamentamos profundamente não podermos entregar alegria e cortar um pouco da esperança com relação ao restante da temporada”, continuou. “Ficar em 9º lugar num campeonato com 12 times é vergonhoso. Mas isso não nos desanima, não nos desestimula”.

Follador disse que o Estadual deste ano serviria apenas para formar a equipe para o resto da temporada. “Se podemos escolher um momento de tropeço, ocorreu no momento certo, Nossa prioridade é a Série B, o retorno para a Série A, e a Copa do Brasil”, afirmou o presidente.

O dirigente disse que não iria dar justificativas sobre a eliminação, mas teceu explicações. “Quando assumimos, fomos obrigados a mudar radicalmente o plantel. Fizemos 25 demissões e começamos um time totalmente novo, do zero. Foram 15 contratações, que tinham viés profissional na questão estatística e científica, além do parecer técnico, para que pudéssemos ter um time competitivo”, disse ele. “Esse time ainda está sendo montado. Todos perceberam que a cada semana há um anúncio de um jogador novo. Como fizemos nesta semana, como o zagueiro Henrique”.

Em outro momento, Follador afirmou que a atual equipe tem uma postura superior às de anos anteriores – nos últimos três anos, o presidente coxa-Branca era Samir Namur, que entregou o time virtualmente rebaixado para a Série B em 2020 – e defendeu o planejamento da diretoria. “As mudanças que fizemos foram muito radicais e visam principalmente não se afastar do planejamento estratégico. Estamos certos do caminho que estamos. Os frutos não começaram a aparecer. Mas temos certeza que ao longo do tempo vão aparecer”, disse ele. “Agora parece que está tudo errado, mas há muito tempo o Coritiba não consegue chegar a terceira fase da Copa do Brasil. E estamos na terceira fase. Estamos com um time competitivo, com postura diferente de equipes anteriores. Podemos discutir o resultado, mas não podemos discutir a postura da equipe”.

Follador encerrou afirmando estar ciente da frustração da torcida. “Venho aqui não para fazer promessas, mas para dizer que temos certeza de onde queremos chegar. Os resultados vão aparecer. Mas não peço paciência. Só afirmo que vamos trabalhar muito”, disse ele. “Passamos o final de semana inteiro em reuniões para verificar os erros que cometemos. Avaliar os acertos, porque também existem acertos. Se estou no cargo hoje, é para dar esperança, alegria e orgulho para cada um de vocês”.