Publicidade
Mercado da bola

Presidente do Coritiba revela que foi contra a saída do goleiro Wilson

O goleiro Wilson
O goleiro Wilson (Foto: Geraldo Bubniak)

O presidente do Coritiba, Samir Namur, afirmou nessa terça-feira (dia 3) que é contra a saída do goleiro Wilson, 35 anos, por empréstimo para o Atlético-MG. O jogador já está em Belo Horizonte para passar por exames médicos e acertar os últimos detalhes. Deve ser confirmado ainda nessa terça-feira como reforço do Galo, com empréstimo até o final de 2019. Ele tem contrato com o Coxa até o final de 2020, com remuneração de R$ 200 mil mensais aproxidamente.

O Atlético-MG vai pagar os salários e outros benefícios de Wilson integralmente até o final do ano, gerando economia de R$ 1 milhão para o Coritiba. No entanto, o clube mineiro não vai precisar pagar pelo empréstimo, nem ceder jogadores em contrapartida.

Samir afirmou que foi contrário ao empréstimo do goleiro, mas que o jogador insistiu para que a proposta do clube mineiro fosse aceita. “Que fique claro: ele está indo porque é decisão dele. Quando ele retornar, ele tem mais um ano de contrato com o Coritiba”, disse o presidente do Coritiba, em entrevista coletiva. “Ele recebeu propostas desde o início da gestão de vários clubes, em vários momentos. Nossa posição como diretoria, ouvindo sempre as comissões técnicos, era de um atleta importante com grande contribuição em termos de liderança e na parte técnica também. Importante esse ponto: para nós, não mudou o fato de ter ido para a reserva, não mudou nossa visão da importância que ele tinha, mesmo tendo alto salário”, explicou Samir.

Segundo o dirigente, a oferta do Atlético-MG foi a primeira que Wilson resolveu aceitar desde o início da gestão. “Foi a primeira proposta que agradou o Wilson, que ele resolveu aceitar. Conversei com ele várias vezes, colocando a nossa posição. Queríamos que ele ficasse. O Pastana (diretor de futebol) falou isso para ele também. Mas ele (Wilson) manteve a posição que ele queria sair”, comentou.

A proposta inicial do Atlético-MG era pagar apenas parte do salário de Wilson. “A exigência que fizemos é que o Atlético pagasse o salário inteiro, integralmente, com todos os encargos”, revelou o dirigente. “O clube vai economizar algo em torno de R$ 1 milhão de reais, entre salários e encargos”, comentou.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES