Publicidade

Presidente sérvio fecha fronteira e Jovic fica impedido de voltar à Espanha

O Real Madrid se tornou o primeiro clube da Espanha a impor quarentena devido à pandemia do novo coronavírus, denominado covid-19, no dia 12 de março. Mesmo com a restrição, o atacante Luka Jovic furou a quarentena, aplicada, além do clube, pelo próprio país, que permite que as pessoas saiam de suas casas apenas por motivos de trabalho ou necessidades máximas, como, por exemplo, ir ao mercado.

Jovic foi à Sérvia, para comemorar o aniversário de sua namorada, mas não esperava que imprensa do país revelasse sua visita em meio à pandemia, o que poderá lhe trazer problemas. Nessa sexta-feira, o presidente sérvio, Aleksandar Vucic, decretou o fechamento das fronteiras territoriais, possibilitando apenas o regresso de pessoas que estejam fora dos limites nacionais. Não há possibilidade de saída.

O chefe de Estado da Sérvia, antes de tomar a decisão, criticou duramente a atitude do atacante merengue e chegou a ameaçar prender o jogador caso ele abandonasse seu apartamento, em Belgrado.

"Se ele abandonar seu apartamento, será preso. Creio que ele se arrependeu do que fez, mas deixarei sempre claro: a vida de nossa gente é mais importante que seus milhões", afirmou Vucic. Com a medida, Jovic não poderá retornar à Espanha. O atleta pediu desculpas, embora tenha aproveitado o discurso para criticar a imprensa local.

Chefes de Estado, por todo o mundo, tem se preocupado com a pandemia da nova doença e estão adotando medidas como a do presidente sérvio. O mundo registra mais de 250 mil infectados e 10 mil mortes decorrentes do covid-19.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES