Publicidade
Covid-19

Presos do Paraná vão produzir meio milhão de máscaras

(Foto: Colaboração)

Depois de um pedido do Conselho da Comunidade da Comarca de Região Metropolitana de Curitiba – Órgão da Execução Penal, o juiz Danilo Pereira Junior, da 12.ª Vara da Justiça Federal de Curitiba, liberou R$ 71 mil para a produção de 500 mil máscaras. Os produtos serão confeccionados por presos em unidades penitenciárias do Paraná. Por determinação do juiz, as máscaras serão distribuídas prioritariamente para internos e servidores do sistema prisional paranaense.

O Conselho da Comunidade da RMC tem buscado apoio de autoridades para encontrar saídas para resguardar as pessoas que estão sob custódia do Estado. A superlotação no sistema penitenciário paranaense coloca detentos e servidores em situação de maior fragilidade no enfrentamento da pandemia de coronavírus. “Diante dessa calamidade mundial, expusemos a grave situação sanitária nas unidades penitenciárias do Paraná ao doutor Danilo, que sensível ao grave momento que vivemos, prontamente se dispôs a repassar recursos para a aquisição de materiais para a confecção de máscaras para os presos e servidores do sistema”, afirma Isabel Kugler Mendes, presidente do Conselho.

Os recursos foram liberados no começo desta semana. O tecido e outros itens para a confecção das máscaras já foram comprados. O tecido tem ação bactericida e aprovação da Anvisa para ser uma barreira contra o Covid-19. A expectativa é que os produtos sejam entregues nesta quarta (1.º) em Piraquara. A produção será dividida em pelo menos 10 unidades prisionais (Piraquara, Ponta Grossa, Londrina, Maringá, Guarapuava, Francisco Beltrão, Cascavel e Francisco Beltrão), que tenham canteiros de trabalho com máquinas de costura, para agilizar a confecção das máscaras. A meta é que sejam fabricadas cerca de 2 mil máscaras por dia.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES