Publicidade
Política

Pressionado por aliados, Temer começa a viajar o país em pré-campanha

DANIEL CARVALHO E TALITA FERNANDES

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Pressionado por aliados a rodar o país em um esforço para tentar reverter a baixa popularidade e sair do 1% de intenção de votos, o presidente Michel Temer começará uma agenda de viagens neste fim de semana.

A primeira escala é Uberaba, no Triângulo Mineiro. No sábado (28), vai visitar a 84ª edição da Expozebu, feira que deve receber 300 mil pessoas e movimentar cerca de R$ 170 milhões, segundo os organizadores.

Na segunda-feira (30), o presidente deve ir a Ribeirão Preto, em São Paulo, para a abertura 25ª Agrishow, feira internacional de tecnologia agrícola.

As duas feiras agropecuárias devem ser visitadas por outros pré-candidatos ao Palácio do Planalto, como o ex-ministro Ciro Gomes (PDT) e o deputado federal Jair Bolsonaro (PSL-RJ).

O presidente não deve viajar na terça-feira (1º), por causa do feriado do Dia do Trabalhador, e na quarta-feira (2), para acompanhar a votação no Congresso do remanejamento de recursos para cobrir o calote de R$ 1,5 bilhão da Venezuela e de Moçambique.

Na quinta-feira (3), Temer deve ir a Barretos, no interior de São Paulo, fazer uma visita ao Hospital do Câncer.

Diante de uma reprovação de 70% indicada pelo Datafolha, Temer passou a ser cobrado por aliados, inclusive pelo presidente nacional do MDB, senador Romero Jucá (RR), para que começasse a viajar.

Mesmo que a candidatura não vá adiante, a ideia do partido é manter o discurso de que terá uma candidatura própria para defesa do legado do governo.

Há duas semanas, o presidente passou a tratar mais abertamente de sua pré-candidatura à reeleição.

Já se reuniu com os novos integrantes do MDB na semana passada. Nesta, começou a receber no Palácio da Alvorada dirigentes regionais de seu partido para discutir política.

Nesta quinta-feira (26), ele recebeu o presidente da Fiesp, Paulo Skaf, pré-candidato ao governo de São Paulo pelo MDB.

Temer não está sozinho como pré-candidato do MDB ao Palácio do Planalto. O outro nome que tenta se viabilizar é Henrique Meirelles, ex-ministro da Fazenda, que já tem viajado pelo país para se tornar conhecido e também tentar sair da piso das pesquisas de intenção de votos.

DESTAQUES DOS EDITORES